Ritmos para ficar em forma

Para quem foge da academia, mas se preocupa em cuidar do corpo, nada melhor do que queimar calorias no molejo de danças como mambo, salsa e gafieira

por Daniela Costa 06/05/2013 14:42

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Eugênio Gurgel
Regina Martins, bailarina: "O controle da respiração e o fortalecimento da musculatura são alguns benefícios da dança do ventre" (foto: Eugênio Gurgel)

O movimento frenético e os passos cadenciados mesclam sensualidade e resistência. Entre rodopios e requebrados, ritmos afro-cubanos como a salsa, o cha cha cha e o mambo fortalecem a musculatura e melhoram o condicionamento físico de seus praticantes. Em uma hora de aula, com muito suor e adrenalina, perdem-se em média 400 calorias. Além de ser uma verdadeira terapia, as aulas de dança são atividades aeróbicas que melhoram a frequência cardíaca, postura, equilíbrio e coordenação motora. “Os resultados são obtidos de acordo com a intensidade da música, o tempo da aula realizada e a constância na prática”, explica Murilo Borges, educador físico e bailarino da Mimulus Escola de Dança. Para os amantes da música brasileira, o molejo das danças de salão como o forró e o samba de gafieira lota as aulas nas academias. Já os adeptos dos estilos individuais apostam na explosão do street dance para fugir do sedentarismo. Com coreografias inspiradas nas danças de rua, o ritmo é um dos que mais consome energia. “Chego a perder dois quilos em um dia de apresentação”, diz o bailarino Leandro Belilo, da Cia. Fusion de Danças Urbanas. A endocrinologista e metabolista Flávia Pieroni explica que, para acabar com o excesso de gordura, os exercícios aeróbicos são mesmo a melhor opção. “Na dança, o esforço físico realizado é de baixa e moderada intensidade, o que possibilita que o consumo de oxigênio permaneça estável, acelerando o metabolismo.” Então, vamos bailar?

Para o corpo e a mente

Conheça alguns benefícios da dança

  • Diminui o estresse
  • Aumenta a autoestima
  • Desenvolve a coordenação motora e melhora o condicionamento físico
  • Melhora a frequência cardíaca e a capacidade respiratória
  • Otimiza a queima de gordura e a consequente perda de peso
  • Promove a integração social


Movimento sedutores

Extremamente envolvente e sedutora, a dança do ventre se originou no Egito e conquistou o mundo. Com movimentos sinuosos, o estilo trabalha a musculatura de forma geral, com ênfase na região abdominal, parte anterior e posterior da coxa, glúteos e panturrilhas. A mistura rítmica também traz flexibilidade, alinhamento postural, controle da respiração, desenvolvimento da coordenação motora, equilíbrio e, é claro, reforça a autoestima. “A dança do ventre promove a descoberta do próprio corpo”, diz a bailarina e corógrafa Regina Martins.

Gasto calórico: 300 calorias/hora

Samuel Gê
Professora de educação física Nilsa Silva (ao centro, de saia) com alunas de zumba fitness: "Em uma única aula é possível perder mais de 500 calorias" (foto: Samuel Gê)


Dança ou ginástica?

Uma das sensações do momento para quem quer perder peso são as aulas de zumba fitness. Ao som de ritmos caribenhos como a salsa, cumbia e merengue, alunos movimentam toda a musculatura do corpo e perdem calorias sem esforço. “Zumba é uma aula de ginástica disfarçada de dança. E é por isso que traz resultados”, explica Marcos Muniz, da Academia Wall Street. O movimento é frenético e trabalha braços, pernas e, principalmente, o abdômen. “Há uma perda de 550 a 1.000 calorias por aula, o que vai depender do condicionamento do aluno”, diz a professora de educação física Nilsa da Silva, da Companhia Atlética.

Gasto calórico: 550 a 1.000 calorias/hora

Pedro Nicoli
Atila Precione e a aluna Rafaella Fraga, em passos de samba de gafieira: "Os movimentos são muito intensos", diz Atila (foto: Pedro Nicoli)




Dois pra lá, dois pra cá


Sempre a dois, a dança de salão exige cumplicidade entre os parceiros, que, em ritmos quentes ou mais lentos, exibem coreografias sincronizadas e postura impecável. Os passos mesclam rodopios, giros e rebolados por todo o salão. Praticar danças como o tango, zouk, samba de gafieira e forró nordestino é o mesmo que fazer uma verdadeira aula de ginástica e contorcionismo. “O samba de gafieira é uma das modalidades da dança de salão que exige maior gasto de energia”, diz Atila Precione, bailarino e professor da Casa de Bamba. Além dos ritmos brasileiros, os calientes hits latinos dançados em dupla, entre eles a rumba, salsa e o mambo, são uma explosão intensa de pura adrenalina. Foi exatamente por isso que Rafaella Fraga escolheu o samba de gafieira. “Os movimentos são muito intensos”, explica Atila Precione.

Gasto calórico: 400 calorias/hora

Pedro Nicoli
Leandro Belilo, professor de street dance: "Chego a perder até dois quilos em cada apresentação" (foto: Pedro Nicoli)

Pura adrenalina

A batida forte e o ritmo eletrizante fazem com que os praticantes do street dance realizem movimentos inspirados nas danças de rua, exigindo extrema agilidade e coordenação motora. A coordenação entre braços, pernas, cabeça e ombros garante a realização de verdadeiras manobras sincronizadas e harmoniosas. Técnica e atitude são alinhadas para que, por meio da dança, sejam transmitidos os conceitos da cultura negra. “As danças urbanas são compostas por vários estilos, cada qual com uma característica própria. O house dance, por exemplo, trabalha com movimentos aeróbicos, e chego a perder até dois quilos em cada apresentação”, diz Leandro Belilo, bailarino da Cia Fusion de Danças Urbanas.

Gasto calórico: 500 calorias/hora

Paulo Márcio
Sapateadoras Isabela, Luísa e Lorena: movimentos sincronizados ajudam a fortecer os músculos do abdômen, panturrilhas e coxas (foto: Paulo Márcio)

Passos firmes no tablado

Em cada batida de pé, uma emoção diferente. Assim é o sapateado, dança com influências irlandesas, americanas e africanas que ganhou popularidade com os grandes musicais. Os movimentos sincronizados e ritmados dos pés refletem em todo o corpo, exigindo equilíbrio e força. O instrumento principal são os sapatos, que, de acordo com o modelo e formato utilizados, resultam em um som diferenciado no tablado. O movimento forte ajuda a fortalecer os músculos do abdômen, panturrilhas e coxas. A combinação de movimentos também exercita a memória e a coordenação motora. As sapateadoras Isabela Resende, Luísa Lima e Lorena Andrade, do Grupo Opus, que o digam: “As aulas de sapateado exigem muita energia e condicionamento físico”, diz Luísa.

Gasto calórico: 400 calorias/hora

Paulo Márcio
As bailarinas Luisa Viana e Luísa Nassif: treino diário de até 4 horas para manter o condicionamento físico (foto: Paulo Márcio)

Equilíbrio na ponta dos pés

Elegância, disciplina, força e resistência. O balé, dança originada na Itália, é de difícil domínio, e, por isso, requer treino e dedicação no aprendizado de suas diferentes técnicas. Os movimentos graciosos sustentados nas pontas dos pés exigem equilíbrio e controle sobre a dor. O bom condicionamento físico e a baixa porcentagem de gordura corporal são necessários para a realização de coreografias que não economizam saltos e levantamentos dos bailarinos. “O trabalho de alongamento, fortalecimento, flexibilidade e tonicidade muscular é diário”, diz Deborah Lopes, bailarina e diretora do Centro de Arte Savassi. As bailarinas Luisa Viana e Luísa Nassif, do Grupo Círculo da Dança, mantêm o condicionamento físico com treinos intensos de quatro horas por dia.

Gasto calórico: 400 calorias/hora

Leo Araujo
Os professores Karina Ramos e Reginaldo Jimenez: "É uma dança que trabalha todas as articulações do corpo", diz Jimenez (foto: Leo Araujo)

No batido das castanholas

Direto de Andaluzia, na Espanha, para o mundo, a dança flamenca integra uma cultura milenar que envolve o toque envolvente da guitarra. A força e a sensualidade explícitas nas expressões corporais e faciais dos bailarinos, ritmados pelo sapateado e batidas das mãos – muitas vezes munidas pelas tradicionais castanholas – fazem da dança flamenca um espetáculo único. Os vestidos rodados são movimentados de forma sinuosa, realçando a graciosidade feminina. Os movimentos destacam o poder de sedução. “É uma dança que trabalha todas as articulações do corpo: enrijece o bíceps, torneia as pernas, melhora a postura. Exige um grande gasto calórico”, diz Reginaldo Jimenez, bailarino e coreógrafo da escola de dança Soleá Tablao Flamenco. Também professora da escola, Karina Ramos chama a atenção para outros benefícios da dança: “É uma válvula de escape, acaba com o estresse”, diz.

Gasto calórico: 350 calorias/hora

Últimas notícias

Comentários