Velozes e furiosos

Autódromo do Mega Space, em Santa Luzia, na região metropolitana, vira point dos amantes da velocidade

por Rafael Campos - Revista do Correio 07/06/2013 17:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Nereu Júnior
Apresentação de drift agita público do Mega Space (foto: Nereu Júnior)
Quem vive em BH há mais de 40 anos lembra de quando o entorno do estádio do Mineirão, na Pampulha, era palco de disputas de velocidade. Milhares de pessoas se reuniam para assistir a pilotos como os irmãos Fittipaldi, Luiz Pereira Bueno e o mineiro Toninho da Matta. As corridas de carro eram rotina numa cidade que ainda estava sendo erguida e que, por isso, dispunha de áreas que se transformavam em pistas, como acontecia também no bairro Cidade Nova, região Nordeste. O tempo, como os carros de corrida, voou baixo e aquela época apenas alimenta os saudosistas. Contudo, parte do clima está de volta. E um dos motivos para este flashback é o autódromo do Mega Space, em Santa Luzia, cidade na região metropolitana, que virou point dos amantes da velocidade.

Nereu Júnior
Piloto paulista Elson Nishimura, o Juba, é só elogios à pista: "É a mais top do país" (foto: Nereu Júnior)
O Desafio dos Drifts na Montanha, por exemplo, realizado em maio, reuniu um grande número de pessoas que estão aderindo ao universo do ronco dos motores. É o caso dos noivos Marlon Henrique de Oliveira e Amanda Silva de Souza, ambos de 23 anos. “Essa atmosfera de velocidade é contagiante”, diz Marlon, que tem o costume de levar a noiva para a Mega Quinta, evento do Mega Space realizado às quintas-feiras, das 19h à meia-noite, com desafio de arrancada, manobras radicais, som e encontro de clubes de carros.

Mas não são apenas os mineiros que estão curtindo essa nova fase do automobilismo no estado. O piloto Elson Nishimura, o Juba, de 32 anos, é piloto de drift,  mora em Guarulhos, na Grande São Paulo, e esteve no desafio. Para quem não sabe, drift é aquela manobra na qual os pilotos têm de esbanjar habilidade ao conduzir o veículo em alta velocidade e “andando” de lado. Ainda não entendeu? Então assista ao filme Velozes e Furiosos. Para Juba, o autódromo mineiro é o melhor do país para a modalidade graças à geografia. “Como o drift popular nasceu no Japão e nas montanhas, aqui é a pista mais top do país”, diz o piloto, monstrando a inclinação do traçado.

Nereu Júnior
Os noivos Marlon Henrique e Amanda Silva: "Essa atmosfera de velocidade é contagiante", diz Marlon (foto: Nereu Júnior)
A realização da Copa Minas-Rio de Velocidade, competição de marcas e pilotos, é outra prova de que o estado mostra força nesse cenário. Com a demolição do autódromo internacional Nelson Piquet, em Jacarepaguá (RJ), para construção de um centro olímpico, os profissionais do Rio estão atravessando as serras mineiras para disputar a competição, que no passado era realizada na cidade maravilhosa e recebia o nome de Copa Rio-Minas. A segunda etapa do campeonato vai acontecer nos dias 22 e 23 de junho.

Para Pedro Sereno, presidente da Federação Mineira de Automobilismo (FMA), exceto a fórmula Truck (caminhões), o autódromo do Mega Space com os seus 2,6 mil metros de extensão, pode receber qualquer competição de automobilismo. Pedro ressalta a importância do espaço para descobrir talentos mineiros. “Estamos iniciando uma nova fase de formação de pilotos”, diz.

Gisele Calixto, diretora do Mega Space, lembra que quando o espaço foi aberto em 2003, praticamente, não existia carros de manobras ou de arrancada em BH. “Começamos com apenas uma reta de arrancada. Em 2005 aumentamos a pista para 1.500 m e ano passado houve novamente uma expansão para 2.600 m”, diz. Atualmente, cada evento automobilístico atrai cerca de 2 mil pessoas. Quem quiser sentir o gostinho de dirigir numa pista de automobilismo tem a opção de alugá-la e levar o próprio carro.

Divulgação
Perspectiva do autódromo de Curvelo: projeto audacioso e milionário que deve atrair o mundo da velocidade para o estado (foto: Divulgação)
Maior autódromo em Curvelo


Curvelo, a 127 quilômetros de Belo Horizonte, vai sediar o maior complexo automobilístico da América Latina. O audacioso projeto, denominado AI Curvelo – Cidade Motor, está a pleno vapor: deve começar a sair do papel em novembro deste ano e ser inaugurado em 2015. Um dos pontos altos, sem dúvida, será o autódromo, que terá capacidade de receber todas as competições automobilísticas internacionais, entre elas, a cobiçada e milionária Fórmula 1. O custo da obra gira em torno de R$ 60 milhões, que serão custeados por empresários mineiros e até do exterior, como afirma Flávio Bergmann, empresário e idealizador da empreitada. “Será um projeto inovador, executado numa área de quase 3 milhões de m²”, diz Flávio. Apenas para comparar, o autódromo de Interlagos, em São Paulo, fica numa área de um milhão de m². O complexo deve contar ainda com condomínio residencial, hotel e galerias de lojas.

Últimas notícias

Comentários