A Cafusa vai rolar!

O torneio da Fifa, considerado um teste para a Copa do Mundo, começa no dia 15, com o jogo entre Brasil e Japão em Brasília. BH vai receber três partidas, incluindo uma semifinal

por Renan Damasceno 14/06/2013 16:29

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Quando a Cafusa (nome oficial da bola da Copa das Confederações) rolar no gramado do estádio Mané Garrincha, em Brasília, às 16h de 15 de junho, para o confronto entre Brasil e Japão, a 9ª edição da Copa das Confederações dará início a uma maratona de grandes eventos esportivos no Brasil, que também vai sediar a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada e Paralimpíada em 2016, no Rio. O campeonato, que vai movimentar seis capitais brasileiras (Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e Salvador), é usado pela Fifa (entidade máxima do futebol) como teste para os Mundiais – mas, em duas décadas, tomou vida própria e hoje figura como objeto de desejo das oito seleções que desembarcam este mês em terras tupiniquins. Brasil e Japão estão no Grupo A, ao lado de México e Itália, enquanto Espanha, Uruguai, Nigéria e Taiti formam o B. Os dois melhores de cada chave avançam à semifinal, que terá um jogo na capital mineira, e os vencedores se enfrentam na decisão, em 30 de junho, no Maracanã.

Apesar de o torneio no Brasil ser a nona edição, a Fifa passou a organizar a Copa das Confederações apenas a partir da terceira, em 1997, quando o campeonato recebeu o nome e o formato atuais. A primeira edição, em 1992, foi organizada pela Arábia Saudita, com a participação de quatro seleções – Costa do Marfim, Estados Unidos e Argentina, além dos anfitriões sauditas –, em campeonato batizado de Copa Rei Fahd, em homenagem ao governante que ocupou o cargo máximo daquele país de 1982 a 2005. Com gols de Leonardo Rodríguez, Simeone e Caniggia, os argentinos sagraram-se campeões com triunfo por 3 a 1 sobre os donos da casa. Em 1995, novamente em solo saudita, os argentinos perderiam o título para a Dinamarca, então campeã da Eurocopa, por 2 a 0.

Quando a Fifa assumiu a organização, determinou a mudança de nome para Copa das Confederações. O torneio passou a contar com oito seleções, representando os seis continentes, além do atual campeão da Copa do Mundo e o anfitrião. Vencedor do Mundial de 1994, o Brasil ganhou o torneio pela primeira vez ao golear a Austrália por 6 a 0 – três gols de Romário e três de Ronaldo. No campeonato seguinte, em 1999, realizado no México, o Brasil amargaria derrota para o anfitrião, que levantou a taça ao vencer por 4 a 3 na decisão. Ronaldinho Gaúcho, hoje no Atlético, foi eleito o melhor atleta do campeonato.

A Copa das Confederações tornou-se evento-teste para a Copa do Mundo a partir de 2001, quando Japão e Coreia do Sul sediaram o evento um ano antes de receber o Mundial. A França foi campeã daquela edição e repetiu a dose dois anos depois, em casa. Em 2005, o campeonato deixou de ser realizado de dois em dois anos e, a exemplo da Copa do Mundo, passou a ser de quatro em quatro, sempre um ano antes do principal torneio de seleções. Na edição alemã, o Brasil levantou o troféu ao golear a Argentina por 4 a 1, com grande atuação do centroavante Adriano, artilheiro e eleito melhor do torneio. Na África do Sul, em 2009, os brasileiros se tornaram os primeiros tricampeões, ao vencer os Estados Unidos por 3 a 2, com gols de Luis Fabiano (dois) e Lúcio. Uma curiosidade: em todas as edições anteriores, nunca um país campeão da Copa das Confederações sagrou-se vencedor da Copa do Mundo que veio em seguida.

As bolinhas do sorteio das chaves da Copa das Confederações não foram muito generosas com Belo Horizonte. O primeiro jogo de uma competição da Fifa no novo Mineirão será entre Taiti e Nigéria, em 17 de junho, uma segunda-feira, às 16h, pelo Grupo B. A desconhecida equipe taitiana, que surpreendentemente venceu a Copa da Oceania, vai jogar pela primeira vez longe de seu continente em uma competição oficial adulta. Já o tradicional time nigeriano, responsável por eliminar a Seleção Brasileira da Olimpíada de 1996, foi campeão da Copa Africana de Nações, em janeiro.

O segundo jogo será entre duas equipes que têm presença frequente em Copas do Mundo, embora sem resultados expressivos: pelo Grupo A, o mesmo do Brasil, Japão e México jogam no dia 22, também às 16h. A terceira partida em BH será a semifinal envolvendo o primeiro colocado do Grupo A (que pode ser o Brasil) e o segundo do B. Na Copa do Mundo, o estádio receberá seis jogos, incluindo uma das semifinais, na terça-feira, 18 de julho.

Tamanha expectativa de fazer bonito perante os olhos de todo mundo fez Belo Horizonte se mexer para a competição. Além do Mineirão, outras duas arenas mineiras receberão as seleções. A Fifa selecionou o estádio Independência e o Sesc Venda Nova como centros de treinamento. A arena do Horto, reinaugurada em abril do ano passado, ficará disponível para treinos das seleções da Nigéria, México e um semifinalista. Já o clube de Venda Nova, na região Norte da capital, vai receber Taiti, Japão e um semifinalista.

Últimas notícias

Comentários