Foco na expansão

ABC abriu 11 lojas em MG e quadruplicou o faturamento. Mas os projetos para os próximos anos são mais ambiciosos

por Pabline Félix 28/08/2013 12:59

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pedro Nicoli
Thiago Mendonça: "Em 2012, crescemos algo em torno de 25%, número bem acima do mercado, e para 2013, a expectativa é ainda maior" (foto: Pedro Nicoli)

Retornar ao Brasil depois de passar uma temporada na França, onde cursou o segundo MBA, em 2006, colocou o empresário Tiago Moura Mendonça diante de uma decisão difícil: investir na carreira de executivo de mercado, onde as remunerações costumam ser "polpudas", ou mergulhar de cabeça no negócio da família, a rede ABC da Construção, que demandava cuidados especiais para continuar relevante na praça. Apesar de mais arriscada, Tiago ficou com a segunda opção. Foi uma escolha certeira. Com apenas 31 anos, e no posto de diretor-presidente da rede batizada em 1990 como Atacado Brasileiro da Construção (ABC), mas fundada pelo avô nos anos 1950, em Juiz de Fora, na Zona da Mata, ele empregou os conhecimentos recém-adquiridos para, em apenas cinco anos, quadruplicar o faturamento da empresa e abrir 11 novas lojas, passando a ter 30 filiais em 18 cidades mineiras, tornando-se a maior em número do setor no estado. Contratou gerentes experientes de grandes empresas para formar o seu dream team da administração e, com isso, conseguiu dar passos ambiciosos, como a parceria com o grupo financeiro FIR Capital, firmada em 2011. E os olhos de Tiago miram o horizonte quando o assunto é crescimento: a meta é investir R$ 40 milhões para abrir mais 12 lojas nos próximos 18 meses. "Em 2012, crescemos algo em torno de 25%, número bem acima do mercado, e para 2013 a expectativa é ainda maior", conta Tiago. 

Formalmente, a entrada de Tiago na empresa só aconteceu em 2006, mas seu interesse pela ABC é antigo. "Sempre gostei de acompanhar meu pai às lojas, na época em que ele se tornou um dos administradores. Já pensava em trabalhar no negócio da família, mas não queria me envolver nisso por falta de opção. Por isso, investi em uma formação tão completa que me desse um leque de alternativas profissionais", diz o engenheiro civil por formação, administrador por especialização e empreendedor por natureza. Ele conta que o receio de apostar em uma empresa familiar, onde todos "tendem a querer dar palpites", foi colocado de lado depois de uma conversa sincera com os então administradores – Ricardo Mendonça, seu pai, e Luís Fernando Moura, tio, mais envolvidos com o segundo negócio da família, no setor de construção de imóveis para aluguel, do que propriamente com a rede. "Eles estavam animados com o negócio que crescia e a ABC acabou ficando sem fôlego para buscar alguma expansão. Foi aí que vi a oportunidade de fazer algo diferente, que foi minha condição para integrar o time", diz. 

Pedro Nicoli
Loja da empresa no bairro de Lourdes, área nobre de BH: planos de expansão a pleno vapor (foto: Pedro Nicoli)

Com a animação própria dos jovens de 25 anos, Tiago começou a propor mudanças assim que assumiu o posto. Inteirou-se dos números da empresa, migrou os diversos sistemas administrativos para uma única e robusta plataforma e começou a traçar estratégias formais para alcançar a meta: em cinco anos, tornar a ABC uma empresa profissionalizada, representativa em âmbito regional e capaz de continuar crescendo. Com uma ajudinha do cenário da construção, aquecido desde o início da década, as oportunidades de ampliação começaram a surgir e Tiago não deixou passar. "O segredo foi ter disciplina", revela.

Mas há mais que método na forma de gerir de Tiago. A entrada para o grupo de mentoria empresarial Endeavor, em 2009, é classificada por ele como um divisor de águas. "São apenas cinco empresas em todo o estado fazendo parte do time. Ser escolhido entre tantos candidatos é a abertura para um mundo muito denso, muito rico", define. Segundo Amanda Cattoni, coordenadora da regional estadual da organização, Tiago foi escolhido por ser um empreendedor com ambição e capacidade de enxergar longe. "Identificamos um perfil de quem trabalha com transparência e profissionalismo. Ele é o que chamamos de um empreendedor de alto impacto. Utilizamos o exemplo do Tiago para inspirar mais empreendedores", diz Amanda. 
 
 

Tiago investiu em mudanças na gestão comercial, na organização das lojas e na forma de tratar o cliente. "Nossa ideia é tornar as lojas lugares fáceis para os clientes comprarem material de construção e acabamento. Se a experiência de lidar com um assunto chato, como obras e reformas, for boa, esse cliente vai voltar", diz. Outra área que atraiu forte investimento no ano passado foi a de recursos humanos: foram aproximadamente R$ 1,5 millhão na capacitação da equipe da casa e na atração de talentos. Um deles é Mateus Machado de Moura, contratado em 2012 para gerir a área comercial. Com três especializações pela Fundação Dom Cabral, mestrado em administração pela Fead e passagem por empresas como Mercantil do Brasil, Coca-Cola, Claro e Tim, ele é parte do atual time de oito diretores montado por Tiago. "Acho que é uma troca muito lucrativa que temos com o Tiago: ele nos apresenta a oportunidade de participar de um modelo de negócios diferente, com um tino empreendedor, e investe em pessoas com perfil dinâmico, que encarem desafios. Assim, caminhamos todos na direção da ABC", diz Mateus Moura.

Últimas notícias

Comentários