O senhor dos pássaros

por Simone Dutra 10/10/2013 13:06

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.


Cláudio Cunha
(foto: Cláudio Cunha)

A praça da Liberdade abriga ícones históricos da capital mineira: o prédio do Niemeyer, o coreto construído em 1913, as antigas secretarias municipais que viraram museus e fazem parte do Circuito Cultural. Lá também é possível encontrar pessoas que buscam fazer boas fotos, que gostam de fazer caminhada e até que dão comida aos passarinhos. Este em especial é o caso do senhor Mário Rodrigues Goulart, de 90 anos. Morador do bairro Gutierrez, há mais de uma década, todos os dias ele reserva a parte da manhã para frequentar a praça e alimentar as aves. "É uma terapia diária. Passo bons momentos com os novos amigos que faço aqui", brinca. A criançada que o diga. Para entrar no clima da diversão, Goulart coloca a ração na mão das crianças e os pássaros rapidamente pousam sobre elas para comer. "Os meninos ficam enlouquecidos de alegria."

Cláudio Cunha
(foto: Cláudio Cunha)

Tique-taque centenário

Sabe onde fica o relógio mais antigo da capital mineira? Bem no coração da cidade, na igreja São José. E pasmem: ele ainda funciona perfeitamente. Instalado em 1910, o relógio da marca alemã F. Krüssmann & Co. conserva suas peças originais intactas. Durante os últimos cinco anos, ficou parado por falta de técnico especializado para a manutenção. Além disso, deixou de acionar os sinos a cada meia hora. Mas agora a relíquia voltou a funcionar. "Conseguimos especialista de São Paulo, que fez a limpeza geral e todos os pequenos ajustes", diz o vigário da paróquia, Flávio Campos.

Samuel Gê
(foto: Samuel Gê)

Galhos quebrados

Os fícus da avenida Barbacena novamente foram alvo de podas realizadas pela PBH. No início do ano foi detectada nas árvores a praga conhecida como mosca-branca. Os primeiros cortes aconteceram em abril. À Encontro, o engenheiro agrônomo da Secretaria de Meio Ambiente, Dany Silvio, afirmou, em junho, que as árvores receberiam tratamento com óleo de nim (ou neem) até agosto. Depois, seria iniciado o processo de manutenção das espécies atingidas. As novas podas foram ações preventivas. Serão realizadas mais quatro novas aplicações do óleo.

Samuel Gê
(foto: Samuel Gê)

Sombra na esplanada

Os torcedores que frequentam o estádio do Mineirão enfrentam chuva e sol forte para ver o time do coração jogar. Mas, daqui a alguns anos, o problema do sol será amenizado, pois foram plantadas na área externa mais de 40 árvores da espécie Triplaris brasiliensis, conhecida como pau-formiga. Segundo a supervisora de Meio Ambiente e Qualidade da Minas Arena, Marcela Viana, as árvores atingirão 8 m de altura em três anos. "Chegamos a plantar outra espécie, mas não deu certo. Agora contratamos um consultor que nos orientou com esta que tem a copa bem volumosa, para dar grande sombreamento", diz. 

Últimas notícias

Comentários