Eduardo Gribel

Neste ano, sua empresa recebeu aporte de R$ 800 milhões para dobrar de tamanho e abrir capital em três anos. Fecha 2013 com 16 shoppings e apetite de Tigre Asiático

por Pabline Félix e André Lamounier 07/01/2014 14:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.


Rogério Sol
Eduardo Gribel, presidente da Tenco: 16 shoppings na carteira, meta de dobrar de tamanho em três anos e o hobby de montanhismo. "Meu objetivo, também nos negócios, é sempre alcançar o topo, o pico" (foto: Rogério Sol)
Em 1977, Eduardo Gribel deixou o Brasil rumo à Europa. Líder do movimento estudantil da Universidade de Brasília (UnB), o recém-graduado engenheiro civil vivia sob o perigo da perseguição da ditadura militar. Resolveu partir para a França, onde fez mestrado e começou a trabalhar numa multinacional de construção. Depois, morou no Irã, na Argélia e na África do Sul, tocando obras para a companhia francesa. 

No exterior, adquiriu o gosto por  viajar. De volta ao Brasil, fundou, na capital mineira, em 1988, a Tenco, uma empresa  de construção e incorporação imobiliária. Logo surgiram negócios ligados ao desenvolvimento e à contrução de shopping centers. Na região metropolitana de BH, lançou o Ponteio, o ItaúPower e o Pátio Savassi. Em Brasília, o Shopping Pier 21. 

Gribel descobriu sua vocação. Não queria mais saber de construir, mas, sim, de empreender e administrar shoppings. Em 1994, foi de férias com a mulher, Adriana, para a Indonésia. Lá, conheceu o  montanhismo (escalada de grandes montanhas). Experimentou, gostou e nunca mais largou a prática, seu hobby favorito. Trouxe a atividade até para seu dia a dia empresarial. A logomarca da Tenco, refeita em 2013, traz a silhueta de uma montanha. "É para nos lembrar que nosso objetivo, também nos negócios, é o de alcançar o pico, o topo", diz Gribel. 

Coincidência ou não, fato é que 2013 foi ainda o ano da arrancada da Tenco, graças ao aporte de R$ 800 milhões, que recebeu do Fundo de Investimentos Pátria, para investimento em centros de compra. 

O namoro com o Pátria teve início em 2010, quando a Tenco planejou crescer seu negócio que já vinha caminhando a bons passos: a empresa detinha sete shoppings no interior do Brasil, em cidades como Taubaté (SP) e Betim (MG). Mas Gribel queria escalar muito mais. Em 2011,  conseguiu convencer o fundo a ser seu sócio e aplicar R$ 266 milhões no projeto de ampliação. A Tenco começou a subir montanhas. Focou em cidades de médio porte (com cerca de 200 mil habitantes), onde adquiriu terrenos e passou a desenvolver novos centros de compras. Lugares como Lages (SC), Varginha (MG) e Bragança Paulista (SP). Chegou a 2013 com 16 empreendimentos no portfólio e a oitava posição no ranking das maiores empresas de shoppings do Brasil. 

Mas foram as cidades do Norte e Nordeste brasileiro que trouxeram as maiores surpresas. Os shoppings da empresa em Arapiraca (AL), Juazeiro do Norte (CE) e Macapá (AM) tornaram-se fenômenos de venda e público.

Entusiasmado, o sócio Pátria decidiu aumetar o peso de sua aposta. Comprou 80% da Tenco Shopping Centers (os 20% restantes pertencem a Gribel) e traçou um ambicioso plano de crescimento: dobrar o número de empreendimentos até 2016, chegando a 32 endereços, e estar entre os três maiores do setor no país; em seguida, abrir o capital da companhia.
 
Depois de escalar montes como Kilimanjaro, na Tanzânia; e Aconcágua, na Argentina, Gribel planeja para breve sua maior façanha: subir o Everest, na Ásia, maior pico do mundo. "Fazer a Tenco multiplicar de tamanho em tão curto espaço de tempo foi minha maior escalada", diz ele. "Estou pronto para novos desafios." O Everest que se cuide.
 
Perfil:
 
Eduardo Gribel
Nascido em Juiz de Fora (MG)
57 anos, casado, quatro filhos
Graduado em engenharia civil pela UnB, mestrado e doutorado pela UnB e pós- graduação pelo Chebap de Paris (França)
CEO da Tenco Shopping Centers

Últimas notícias

Comentários