Rivadávia Drummond

Em 2013, ele foi o mais votado pelo júri popular, entre mais de 200 candidatos de todo o mundo, em competição internacional promovida pela revista The Economist

por Pabline Félix 07/01/2014 14:25

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.


João Carlos Martins
"Mais do que oferecer conteúdo de qualidade, é preciso engajar os alunos e criar um ambiente propício ao aprendizado", diz o professor Rivadávia Drummond (foto: João Carlos Martins)
Foi quase sem querer que Rivadávia Drummond Neto, atual reitor do Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH) e membro do Conselho do Grupo Ânima Educação, tornou-se professor. Aos 17 anos e recém-chegado dos Estados Unidos, o jovem belo-horizontino começou a dar aulas em um cursinho de inglês. O que era para ser um "bico" acabou se revelando vocação. Passou a dar aulas em cursinhos pré-vestibulares e, depois de anos de estudos, chegou ao ambiente acadêmico. Encontrou-se de tal forma como educador que alcançou o posto de referência em sua profissão: foi o nome mais votado na categoria júri popular entre 221 candidatos de mais de 30 países na competição Professor of the Year (Professor do Ano), realizada pela revista de negócios The Economist, em parceria com a Hult Business School. O resultado da premiação foi revelado no início de 2013. Na soma de todas as categorias, Rivadávia acabou não levando o título de Professor do Ano, mas se sentiu realizado com a indicação popular. "Para mim, foi mais do que suficiente. Em um país que valoriza pouco as pessoas envolvidas com ciência e educação, a principal recompensa é saber que influencio positivamente outras pessoas", diz ele.
 
O professor ainda teve muito o que comemorar no ano. Como palestrante, esteve presente nos principais encontros de gestores e da área de administração e marketing, como o IX Congresso Mundial de Administração, realizado em Gramado (RS). Como administrador, recebeu a indicação de Honra ao Mérito pelo Conselho Federal de Administração (CFA), que será entregue em janeiro de 2014. Como escritor, lançou seu segundo livro, a biografia do empresário mineiro fundador do Grupo Martins, Alair Martins, obra que integra o projeto Galeria de Empreendedores da Fundação Dom Cabral (FDC), entidade da qual faz parte como professor associado. Como gestor, comemorou os excelentes resultados no projeto de expansão do UNI-BH, como a criação do curso de medicina com conceito 4 na avaliação do Ministério da Educação (MEC). E, como atleticano apaixonado, celebrou a conquista da Copa Libertadores da América.

Professor-visitante da Universidade de Hong Kong (China), onde dá aulas há mais de um ano, Rivadávia tem paixão por ensinar. Ser reitor sempre foi um sonho. "Não pelo cargo, mas pela oportunidade de interferir na lógica das aulas. Mais do que oferecer conteúdo, é preciso engajar os alunos e criar ambiente propício ao aprendizado", diz. Como? Pesquisando, experimentando e, acima de tudo, com vontade de inovar, ensina. A indicação de The Economist mostra que o professor está no caminho certo.
 
Perfil:
 
Rivadávia Corrêa Drummond de Alvarenga Neto
Nascido em Belo Horizonte (MG)
45 anos, casado, uma filha
Graduado em administração com mestrado e doutorado em ciência da informação pela UFMG; pós doutorado em gestão do conhecimento pela Universidade de Toronto (Canadá)
Reitor do UNI-BH 

Últimas notícias

Comentários