Pedra e elétrico

09/01/2014 15:31

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.


Divulgação
(foto: Divulgação)

No lançamento, em 11 de dezembro, da pedra fundamental de onde surgirá a unidade industrial da BMW em Araquari (SC), a imprensa automotiva participou também do lançamento do BMW 320i ActiveFlex, o primeiro veículo premium flex (bicombustível) do mundo, e pôde conhecer de perto, sem direito a dirigir, o i3, primeiro veículo premium totalmente elétrico de produção em série do BMW Group.

Falta de interesse

A razão de a apresentação do carro elétrico ter sido estática é compreensível. Afinal, enquanto o governo federal não decidir dar uma força para carros com essa energia, o melhor é as montadoras ficarem com as barbas de molho. As promessas de um plano de incentivos para híbridos e elétricos começaram há quase quatro anos, mas até hoje permanecem como tais. O brasileiro Carlos Ghosn, presidente mundial da Renault/Nissan, disse, em recente entrevista, que falta interesse ao governo brasileiro em estimular fontes alternativas de energia. A esperança agora é o segundo trimestre de 2014, quando – conforme acredita o setor – deverá ser anunciado o plano de incentivos aos veículos híbridos e elétricos.

Infidelidade

A J.D.Power, consultoria internacional especializada no setor automotivo, divulgou estudo que comprova a importância do pós-venda para as concessionárias autorizadas brasileiras. O estudo mostra que, enquanto as vendas de veículos novos geram mais de 50% dos lucros das concessionárias, operações fixas de serviços correspondem a aproximadamente 30% dos lucros. Quase um em cada três proprietários de veículos que realizaram serviços nos últimos 12 meses indicou que o trabalho foi realizado em uma concessionária diferente daquela em que o veículo foi comprado. As principais razões pela “não fidelidade” são inconveniência de localização (43%), custo alto (33%) e boa experiência anterior em outra concessionária (20%) e má experiência de compra ou serviços prestados pela concessionária vendedora (11%). O estudo conclui que, se supusermos uma média de 250 oportunidades de serviços por mês em uma concessionária, com um valor médio de R$ 500 por visita, o resultado é um faturamento de R$ 125 mil, ou R$ 1,5 milhão por ano. Se uma concessionária admite que 29% dessas oportunidades vão para a concorrência, isso é equivalente a uma perda de aproximadamente R$ 435 mil em faturamento por ano.

Divulgação
(foto: Divulgação)

Potência de sobra

O Mercedes-Benz SLS AMG Coupé Black Series foi o escolhido pelos leitores da publicação alemã Auto Bild Sportscars como o "Carro esportivo do ano de 2013". A disputa se deu entre 143 veículos de 17 categorias e teve a participação de 77.218 leitores, que votaram on-line. Tal como a versão superior do modelo asa de gaivota, o vencedor do prêmio foi inspirado no SLS AMG GT3, versão para corrida. Leve, pesando apenas 1.550 kg, esse superesportivo com motor 6,3 litros V8 gera potência de 631 hp e acelera de 0 a 100 km/h em 3,6 segundos. O preço nem é mencionado. O GT3, modelo de inspiração, que é mais barato, custa na Europa algo em torno de 225 mil euros.

Divulgação
(foto: Divulgação)

Cinco estrelas

O braço latino-americano do instituto de segurança automotiva Euro NCAP, o Latin NCAP – Programa de Avaliação de Carros Novos para a América Latina, que funciona em São Paulo –, deu ao Volkswagen Jetta a nota máxima de cinco estrelas. Passaram também pelo crivo da organização o novo Focus e o EcoSport, da Ford, que também mereceram cinco estrelas. Os representantes da Ford são os primeiros produzidos na América do Sul a receber cinco estrelas da entidade internacional, que realiza crash-tests nos veículos e mede o impacto sobre os seus ocupantes, utilizando sensores e manequins.

Tudo novo

A Fiat fechou 2013 com o lançamento de uma nova geração do seu comercial leve, o Fiat Fiorino, que é líder de mercado em seu segmento. Ele foi lançado em 1980 e desde então suas vendas atingiram um milhão de unidades. As mudanças foram acentuadas. Com nova plataforma, o Fiorino ficou maior, ganhando espaço para carga; seu design foi alterado, inspirado no Novo Uno; e o motor que passa a utilizar é o 1.4 EVO flex, mais potente.

Audi fecha o ano com 30

Em sua estratégia para dobrar o número de concessionárias no país até 2020, a Audi fechou o ano de 2013 inaugurando o trigésimo ponto de vendas da marca na cidade mineira de Juiz de Fora. A meta ambiciosa da Audi para o Brasil é atingir, em 2020, vendas anuais de 30 mil carros no Brasil. Em breve, a Audi estará montando, na fábrica de São José dos Pinhais (Paraná), o A3 Sedan e o SUV Audi Q3.  

Últimas notícias

Comentários