Lição de saúde

Crianças aprendem desde cedo, em escolas de BH, como os alimentos saudáveis são importantes para seu desenvolvimento

por Simone Dutra e Daniela Costa 21/02/2014 16:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pedro Nicoli
Alunos do Instituto Tarcísio Bisinotto, no lanche da tarde: escola fornece refeições elaboradas por nutricionistas, conforme cada faixa etária (foto: Pedro Nicoli)
Uma boa alimentação evita o comprometimento do crescimento e possibilita o desenvolvimento da criança. Mas o que fazer quando os pequenos começam a frequentar a escola bem cedo ou mesmo voltam às salas de aulas depois das férias de verão? Uma dica é ficar de olho na hora de montar a merendeira (veja dicas de nutricionistas) e no cardápio dos refeitórios das escolinhas. "Se a criança não se alimentar direito, além do acúmulo de gordura ruim, pode sofrer aumento de ansiedade, hiperatividade, ter dificuldade no aprendizado, no sono e até ocorrer retardo de crescimento", explica a nutricionista Camila Vieira Machado. 

Na escola Chez L’Enfant, que atende a garotada de 4 meses de idade a 7 anos, os alimentos consumidos pelas crianças vêm direto de casa, ou seja, é responsabilidade dos pais escolher o que os filhos vão comer na hora do lanche. "Decidimos assim, porque cada criança tem uma necessidade nutricional diferente. E ninguém melhor do que a família para saber como o filho está naquele dia e o que ele deve comer e beber", diz a psicóloga Samira Silva Salim.

Samuel Gê
Crianças fazem bolo na aula de culinária na Chez L'Enfant: os alimentos consumidos são trazidos de casa pelos alunos, que aprendem a usá-los na criação de pratos ou bebidas (foto: Samuel Gê)
Seguindo as regras da boa alimentação, a direção da escola orienta os pais e pede que seja evitado o consumo de refrigerantes, doces, salgados do tipo chips, frituras e biscoitos recheados. "Nas festinhas de aniversário, passamos uma lista com os tipos de salgados mais indicados e liberamos o bolo e o brigadeiro", afirma. Para incentivar a garotada, a escola também possui o projeto Educando com Sustentabilidade, em que as crianças preparam, por exemplo, bolo com cascas de bananas. "A ideia é apresentar os alimentos e no que eles podem se transformar", explica Samira.

No caso das crianças que levam lancheiras para a escola, a nutricionista Alice Carvalhais aconselha aos pais que escolham alimentos que a criança costuma comer em casa. "A lancheira pode ter um pedaço de bolo, biscoitos e uma garrafa térmica com suco ou chá. Frutas são ótimas; iogurte e leite fermentado também são bons, mas desde que cheguem gelados. Já o suco de caixinha não é muito indicado", diz. 

Samuel Gê
Na Visconde de Sabugosa, o projeto Rodada de Frutas incentiva as crianças a experimentar variedades: ideia é criar nova consciência sobre a saúde (foto: Samuel Gê)
Cada escola opta por um método diferente na hora de tratar da alimentação das crianças. O Instituto Tarcísio Bisinotto prefere fornecer a seus alunos – com faixa etária entre 4 meses e 6 anos – refeições elaboradas por uma nutricionista. Há três cardápios diferenciados de acordo com a idade das crianças: de 4 a 8 meses, de 9 a 14 meses e de 15 meses a 6 anos. "Temos duas cozinheiras que preparam a comida da criançada", explica a diretora, Renata de Castro Macedo. No lanche, não entram guloseimas, e o excesso de açúcar e as frituras também são evitados. A preferência é por sucos naturais, biscoitos e pães. "Alimentação não é simplesmente servir o alimento, tem todo um preparo antes. É muito importante fazer com que as crianças sintam prazer ao se alimentar", diz Renata.

Na escola Visconde de Sabugosa, as crianças podem levar o lanche de casa ou contratar o da escola. "Oferecemos sempre um alimento salgado e um doce. Frutas, sucos, bolos, sanduíches, pão de queijo, entre outros. Priorizamos os alimentos mais leves", afirma a diretora pedagoga, Lilian de Oliveira Costa. Para incentivar a garotada, há o projeto Rodada de Frutas, dentro da sala de aula, onde todos são convidados a experimentar uma fruta diferente. "Mas nada é obrigado, pressionado", explica Lilian. Além disso, a Visconde de Sabugosa tem a disciplina culinária em sala de aula, que ensina os alunos a verificar as embalagens e olhar a validade dos produtos. Medidas que levam as crianças a ter um novo olhar sobre o melhor alimento para sua saúde.


Clique para ampliar

Últimas notícias

Comentários