Chique no último

Foi a obsessão por realizar festas perfeitas que levou a empresária Cristina Rocha a investir no seu próprio espaço, a Casa Tua. Sem similar na cidade, o local reúne o que há de melhor em tecnologia, serviço e luxo

por Marina Dias 14/04/2014 11:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paulo Márcio
A decoradora Cristina Rocha, dona do novo espaço para eventos: "Visitamos as casas tops no Brasil e algumas no exterior para reunir as melhores ideias. Sou muito detalhista" (foto: Paulo Márcio)
Só quem já participou da organização de uma grande festa sabe como pode ser difícil fazer tudo sair como imaginava. São várias as possibilidades de cenário, cardápio, disposição das mesas, som, iluminação. É preciso se lembrar dos brindes, das rasteirinhas, da troca de roupa, da mesa de guloseimas. Enfim, uma infinidade de detalhes. E a montagem? Não é fácil coordenar o vaivém da equipe que carrega o mobiliário, decoração, caixas de bebidas e comidas.

Para os mais exigentes, o desafio da festa perfeita é ainda maior, pois não só o "todo" deve ficar ideal, como também os pormenores: nada de fiação passando pelo piso, pregada com fita adesiva. Nada de deixar a banda de música fixa em um só lugar, porque limita a criatividade do dono da festa. Casacos pendurados nas cadeiras? De jeito nenhum.

Paulo Márcio
Camarim para aniversariantes e noivas: com entrada exclusiva, é equipado com closet, chuveiro, lavatório de cabelo, copa e bancada com espelhos, além de iluminação especial para filmagem, sugerida por especialista do Projac (foto: Paulo Márcio)
Essas eram questões com as quais a decoradora - e detalhista assumida - Cristina Rocha sempre se deparava ao organizar as conclamadas festas das duas filhas, Aline e Amanda. Perfeccionista e controladora ao extremo, nunca deixou a montagem dos eventos apenas por conta de um cerimonial. Ela sempre participou de todo o processo, da elaboração do conceito até a transformação final do espaço. E sempre funcionou: os 15 anos de Aline, a filha mais velha, até saíram na revista Capricho como exemplo de festa de debutante, em uma matéria sobre o tema.

Mas os perrengues não foram poucos para o sucesso das comemorações. "Já passei por dificuldades das mais diversas. Tive de pagar hora extra de funcionários, por não haver, no salão, uma entrada adequada para equipamento e montagem, o que gerava fila dos fornecedores para as entregas", exemplifica. Ela também já viu uma noiva quase cair da escadaria, em plena festa, durante a sessão de fotos. E teve de levar água mineral e papel higiênico para o pessoal da montagem em vários eventos, pois não havia estrutura adequada para os prestadores de serviço nos salões.

Paulo Márcio
Chapelaria com estrutura para que os convidados deixem casacos e outros pertences: espaço sem similar nos demais locais de eventos na cidade (foto: Paulo Márcio)
Foi pensando nessas e em outras falhas que já viveu ou presenciou que decidiu abrir uma casa de festas própria. A Casa Tua, espaço de 1.900 m² recém-inaugurado no Jardim Canadá, promete chamar a atenção de quem gosta de uma boa festa.

Como o próprio nome diz, o espaço, projetado pela arquiteta Patrícia Hermani, propõe-se a deixar a festa exatamente conforme o gosto de cada cliente, até o último detalhe. "As pessoas têm estilos diferentes, mas, muitas vezes, os salões já têm uma cara própria - mais rústica, mais clássica - e só dá para mudar o mobiliário e as flores. Além disso, costumam ter limitação de layout. Assim, as festas ficam muito parecidas: já se sabe, por exemplo, onde os convidados vão se sentar, onde vai ficar a banda", explica.

Levando isso em conta, Cristina planejou um espaço sem limitações de disposição. O teto consiste em uma estrutura metálica onde está embutida toda a malha elétrica, com fiação, cabeamento e tomadas, o que possibilita flexibilidade na disposição dos elementos da festa. Além disso, a estrutura está preparada, em pontos-chave, para receber até 200 kg de peso. Ou seja: é possível segurar até mesmo um carro, sem riscos. "Há empresas que têm lustres maravilhosos, pesando mais de 150 kg. Onde vão conseguir pendurá-lo?", diz.

Paulo Márcio
O teto do salão é todo em estrutura metálica, que suporta, em pontos-chave, até 200 kg: toda a fiação, cabeamento e tomadas estão embutidos na estrutura, o que garante flexibilidade no layout da festa (foto: Paulo Márcio)
O piso de porcelanato italiano também ganhou tomadas e fio terra em diversos pontos, o que impede a tal fiação aparente na superfície do salão, que tem capacidade para 800 a mil convidados e pé-direito de 5,4 m. "Quem é detalhista repara nesse tipo de coisa", fala Cristina.  Para os acabamentos, não economizou em testes, pesquisa e viagens para conhecer novidades. A louça do banheiro é de uma cerâmica japonesa bactericida e que não deixa os dejetos grudarem. Para o deque, na parte externa da Casa, escolheu um acabamento português que parece com madeira, mas não tem frestas entre as tábuas. "Pensei nas mulheres de salto fino e alto passando por aqui. Imagine se houvesse vazados!", diz. O material é antiderrapante, assim como o porcelanato italiano do salão.
 
As mulheres também ficarão felizes com o projeto do banheiro, em que todas as cabines são equipadas com pia e espelho individuais, e cujas portas são do tipo "piso-teto", para, segundo Cristina, evitar o aspecto "boteco". Fora a estrutura de cada cabine, ainda há o balcão tradicional, com as pias e espelho, e uma iluminação francesa especial, muito usada em museus.

Paulo Márcio
O banheiro feminino é um dos pontos altos: cada cabine é equipada com pia e espelho próprios, para garantir privacidade, e as louças são de cerâmica japonesa bactericida, em que não grudam dejetos (foto: Paulo Márcio)
Próxima do banheiro feminino está outra inspiração da decoradora: a chapelaria. Cristina conta que precisava construir chapelarias em suas festas, feitas de MDF, já que esse tipo de estrutura é  (ou melhor, era) inexistente nos salões da cidade. A Casa Tua tem espaço dedicado, com araras e bancadas, para  guardar os pertences dos convidados.  "Já ouvi histórias de roubos de casacos em festas, por falta de um local que os abrigasse", diz.

Aniversariantes vaidosas, noivas ou bandas contam, ainda, com a possibilidade de usar o camarim, que tem uma entrada exclusiva e dispõe de closet, chuveiro, lavatório de cabelo, copa e bancada com espelhos. Além de iluminação especial para filmagem, que Cristina mandou fazer após consulta com um especialista do Projac, o centro de produções da TV Globo, no Rio.  

Para a montagem dos eventos, depois de ter passado por dificuldades nas festas que realizou, Cristina decidiu fazer docas técnicas separadas e cobertas para carga e descarga de serviços. Há a doca do bufê, que tem ligação direta com a cozinha; a doca das flores, com uma câmara frigorífica, para as pétalas não murcharem; doca para iluminação, para mobiliário, etc. Todas com acesso independente e ao fundo do salão.

Paulo Márcio
O deque, na parte externa da casa, foi feito com um acabamento português antiderrapante: chão imita madeira, mas sem as frestas entre as tábuas, para evitar acidentes, principalmente com saltos altos (foto: Paulo Márcio)
"É, realmente, de Primeiro Mundo. A tudo que se coloca lá, a casa responde bem. Não é preciso ficar escondendo defeitos", afirma Denise Magalhães, proprietária da Verde Que Te Quero Verde, que já realizou uma festa no local e conhece como poucos as virtudes - e defeitos - de um salão de eventos. "Não existe na cidade um espaço com a estrutura que a Casa Tua oferece, notadamente a dedicada aos funcionários", afirma, em referência à área de convivência de funcionários, com copa, refeitório, banheiro com chuveiro e escaninho.

Cuidadosa, Cristina não pretende fazer eventos com venda de ingresso ou formaturas, para evitar o desgaste da casa, que quer sempre impecável, como gosta de dizer. Hoje, realiza festas de casamento e aniversários e pretende investir no ramo de eventos empresariais. O isolamento acústico do ambiente - e até redutor de ruído no ar-condicionado - favorece eventos que incluam videoconferências, palestras, leilões. "E até para que um convidado escute o que o outro está dizendo ao seu lado, coisa que nem sempre acontece", diz. A empresária conta que sua obsessão pelos detalhes foi tida como supérflua por muita gente, que considerou bobagem investir em tantas minúcias. Contudo, ela garante que os convidados têm valorizado o resultado e que BH, com seu público exigente, já estava ávido por um espaço como este. Que traz o nome de Casa Tua, mas, em verdade, é a cara da dona.

Últimas notícias

Comentários