Férias para eles

Viajar e não ter um lugar para deixar seu animal de estimação é um problema. Por isso, fomos atrás de hotéis de pets de BH e região para saber o que oferecem

por Daniela Costa 09/05/2014 15:46

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Rogério Sol
No Livre Leve e Solto, os donos se divertem com seus cães: "Como moro em apartamento, é o lugar ideal para eu e minhas cadelinhas, Vida Minha e Bia Maria, interagirmos ao ar livre", diz a empresária Maluh Pepper (foto: Rogério Sol)
Sabe aquela expressão "quando os gatos saem, os ratos fazem a festa"? No Mini Pets, quando os donos viajam, os roedores – hamsters, coelhos, chinchilas e até porquinhos-da-índia – se divertem. "Apesar de cada bicho ter sua própria gaiola, todos têm duas horas de recreação livres por dia", explica a proprietária, Lisly Gomide. O coelho Panqueca e os twisters Lili e Nina parecem ter aprovado as acomodações. "Já cheguei a deixá-los no hotel por uma semana e, quando retornei, eles estavam superalegres", diz a vendedora Amanda Karine Reis.

Os cães também desfrutam de hotéis cinco estrelas. Alguns de dar inveja a qualquer humano, com direito a tratamento de beleza, acomodações individuais decoradas e compostas com luzes de cromoterapia e música clássica. "Nossos hóspedes dispõem de tratamento VIP, tanto no hotel quanto em nosso pet shop", diz Wanessa Vaz, do Livre Leve e Solto Hotel Clube para Cães, em São Sebastião das Águas Claras (Macacos), Nova Lima.

Thiago Mamede
O casal Marina e Alexandre Cabral, no hotel Agata Cristy, onde os gatos ficam em bangalôs individuais: "O Mignoni já ficou duas semanas hospedado, sem nenhum problema", diz Alexandre (foto: Thiago Mamede)
O espaço, inaugurado em setembro do ano passado, tem área verde de 3.500 m² e traz novidades, como o day use, em que o proprietário passa o sábado inteiro no clube com o seu cãozinho", explica Wanessa. Enquanto o bichinho gasta energia em várias atividades recreativas, o dono pode usufruir do bar e do restaurante. As vira-latinhas Vida Minha e Bia Maria e a dona delas, a empresária Maluh Pepper, esbaldam-se no hotel: "Depois que as adotei, sempre as levo para lá, para que possam desestressar. Como moro em apartamento, é o lugar ideal para interagirmos ao ar livre."

E quando o assunto é mordomia, os felinos são campeões. Exigentes e territorialistas, eles detestam sair de casa. "Por isso, eu e minha mulher, Marina, realmente tínhamos um problema quando precisávamos viajar. O Mignoni, nosso gato persa, não se adapta a qualquer lugar e hotéis para gatos em BH são raros", conta o jornalista Alexandre Cabral da Costa. O dilema foi resolvido depois que o casal descobriu o hotel Agata Cristy, especializado em felinos, situado no residencial Ipê da Serra, em Nova Lima. "Foi uma tranquilidade para a família. Ele já chegou a ficar duas semanas hospedado sem nenhum problema", conta Alexandre.

Samuel Gê
O coelho Panqueca e os twisters Lili e Nina já se acostumaram a ficar no Mini Pets: "Cheguei a deixá-los por uma semana e quando retornei estavam superalegres", diz a dona deles, a vendedora Amanda Karine (foto: Samuel Gê)
A veterinária Bárbara Peconick explica que fundou o espaço após notar o quanto os donos de gatos sofriam para encontrar um local adequado para deixar seus animais: "Os gatos são muito sensíveis a qualquer tipo de mudança, especialmente de ambiente e alimentação. Por isso, decidi montar um lugar com bangalôs individuais com solários telados, onde eles possam ficar seguros e tranquilos", diz a especialista.

E não são só os cães e gatos que se beneficiam desse luxo. Os pássaros também podem ser hospedados. "Fico muito mais tranquila sabendo que, quando viajo, o Piquê, minha calopsita, fica em excelentes mãos", diz a médica Bárbara Ribeiro de Vargas. Mesmo saindo de casa, a rotina do pássaro é mantida à risca, com direito a banho de sol e muito carinho. "Sei que ele conta com a mesma qualidade de alimentação e até com atendimento veterinário de urgência, se necessário. Por isso, já me preparo para ficar 15 dias fora em maio", conta Bárbara.

Para se tornar um hóspede da Villa Zoo, local onde Piquê já tem gaiola cativa, alguns procedimentos devem ser adotados: "A ave tem de possuir atestado médico aprovado por nossos veterinários. Além disso, o cliente é orientado a trazer a gaiola, a ração com a qual ele já está adaptado e seus brinquedos", explica a proprietária do hotel, Raquel Souto Bernardes.

Últimas notícias

Comentários