Só falta o menu

É cada vez maior o número de bares e restaurantes de BH que reservam espaço para cachorros. Selecionamos 16 endereços

por Daniela Costa 11/08/2014 14:12

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Paulo Márcio/Encontro
O golden retriever Yamandu Savassi tem presença festejada em alguns bares e restaurantes da região, entre eles, o Café com Letras: "Aqui ele fica à vontade e ganha até água com gelo", diz a dona, a fotógrafa Ana silka (foto: Paulo Márcio/Encontro)
Descolado e popular, o golden retriever Yamandu Savassi circula com frequência pelas ruas da região que inspirou o seu nome. Sempre acompanhado da dona, a fotógrafa Ana Slika, de 30 anos, dispensa o uso de coleira e guia. "Quando o adotei, ele estava muito doente, com babesiose (doença de carrapato) e problemas renais. Cheguei a fazer campanha para pagar o tratamento dele. Hoje, além de ser meu grande parceiro, é querido por todos aqui", conta Ana.

Paparicado por crianças e adultos, Yamandu conquistou cadeira cativa em alguns bares e restaurantes da região. No Café com Letras, que fica na rua Antônio de Albuquerque, enquanto Ana faz um lanche, o cão curte o sol da tarde com direito a vasilhame com água e até gelo nos períodos mais quentes do ano. "O número de clientes com animais de estimação é cada vez maior. E não vemos problema nenhum em recebê-los em nossa área externa", diz Andrine Teodoro, gerente de atendimento do estabelecimento.

Não raras vezes, Yamandu também é visto circulando pelos corredores do Pátio Savassi, único shopping de Belo Horizonte onde a presença de animais é permitida. Por lá passam cerca de 150 cães por mês. "Pedimos apenas que os bichinhos estejam no colo ou com coleiras. E também disponibilizamos o serviço gratuito de PetCar, para que possam circular em carrinhos", diz a gerente de marketing, Rejane Duarte.

Atendendo às exigências de um mercado em que os pets alcançaram o status de membros da família de inúmeros consumidores, a ideia de manter os bichos de estimação longe do comércio vem sendo mudada gradativamente. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), no Brasil, 106,2 milhões de animais de estimação movimentam um mercado de aproximadamente R$ 15,4 bilhões ao ano. A maior presença em locais públicos depende basicamente de dois fatores: a boa vontade dos comerciantes e o bom senso dos proprietários de animais.

Rogério Sol/Encontro
A maquiadora Cida Nogueira tem lugar cativo no Copa Bistrô para seus dois whippets, Dali e Pilar: "Seleciono os locais que frequento dando preferência aos que aceitam animais" (foto: Rogério Sol/Encontro)
"A sociabilização do cão é importante e deve ser feita aos poucos, para que ele se habitue e aprenda a se comportar. O ideal é começar frequentando praças e parques, ensinando-o a interagir com o meio externo", diz a terapeuta canina Isabela Jardim. O risco é o animal ficar ansioso, por isso é importante oferecer-lhe petiscos, ossinhos e brinquedos, enquanto estiver passeando por espaços públicos ou aguardando o dono em bares e restaurantes. "Não espere que o animal se mantenha calmo estando preso e ocioso", diz Isabela.

Para garantir aos pets o direito de frequentar outros locais, é importante seguir regras da boa convivência. Entre elas, manter a higiene do local frequentado, usando sacolas descartáveis para recolher os dejetos. Também é preciso levar vasilhame para oferecer água e alimento. Outra dica é respeitar os limites do animal, priorizando o seu bem-estar. A publicitária Andreia Valadares, de 28 anos, aprendeu bem as regras da boa vizinhança com os comerciantes, tanto que seus cães Alfredo Luiz e Lua, ambos da raça shih-tzu, ganharam o título de mascotes da Gusto Osteria, localizada na rua São Paulo, no bairro de Lourdes. "Lá eles têm atendimento VIP e todos os funcionários os adoram", diz Andreia. A maquiadora Cida Nogueira, de 47 anos, também conseguiu um lugar especial para frequentar com seus dois whippets, Dali e Pilar. Apesar de morar no bairro Santo Antônio, não abre mão de ir ao Copa Bistrô, na rua Levindo Lopes, na Savassi. "Poder estar com eles é um grande diferencial. Por isso, seleciono os locais que frequento dando preferência aos que aceitam animais", diz Cida.

Selecionamos 16 endereços na cidade para quem pretende levar os bichinhos de estimação para passear.

Últimas notícias

Comentários