Para o corpo e alma

Massagens contribuem para melhorar a estética corporal e a qualidade de vida. Mas é importante ficar atento às indicações. Selecionamos seis tipos mais procurados para ajudar na escolha

por Marina Santos 31/10/2014 16:45

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
(foto: Divulgação)
Não é de hoje que o toque é usado como forma de estimular nosso corpo e criar vínculos. Há quem fale em troca de energia, desenvolvimento psicomotor, ganho de imunidade, bem-estar e embelezamento, tudo por meio da massagem. "É algo intuitivo, o homem sempre praticou, dando origem depois a procedimentos técnicos", explica Thiago Glanzmann, professor dos cursos de massoterapia e estética do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial de Minas Gerais (Senac MG).

Com diferentes embasamentos teóricos e instrumentações, há vários tipos de técnicas, voltadas tanto para fins terapêuticos quanto estéticos. A massagem, segundo explica Thiago, consiste basicamente na manipulação dos tecidos e na ativação de fluidos corporais, através do sistema circulatório e linfático. Maior órgão do nosso corpo, a pele é porta de entrada para diferentes agentes externos e, por meio de estímulos táteis, influencia em nossa produção hormonal, ajudando a reduzir níveis de cortisol, o chamado hormônio do estresse, e incentivando a liberação de seratonina, neurotransmissor que regula o sono e o humor. Nesse sentido, a massagem pode ser pensada até mesmo como prevenção contra doenças relacionadas a fatores emocionais, como a síndrome do pânico e o transtorno bipolar, ou para combater problemas como depressão e ansiedade, explica o especialista.

Mas é importante procurar profissionais devidamente habilitados, para garantir a qualidade do serviço. "A princípio, todos podem fazer massagens. Porém, o bom profissional é aquele que sabe instruir o cliente, tendo conhecimento sobre os benefícios fisiológicos daquela técnica e em quais situações é contraindicada", explica Thiago. Histórico de câncer, problemas cardíacos e circulatórios, inflamações em fase aguda, dermatites, gravidez, varizes, fraturas ou edemas são alguns dos fatores que podem fazer com que a massagem seja nociva. Por isso, o cliente deve se submeter a uma anamnese antes do procedimento. A entrevista orientará o profissional a atuar segundo objetivos e necessidades de cada um.

Thiago ainda reforça que é preciso cuidado para não se iludir com tratamentos milagrosos ou que trazem um resultado passageiro. "A única forma de eliminar gordura é através da ativação metabólica, via atividade física e reeducação alimentar", diz o massoterapeuta, que é também educador físico. Portanto, a massagem é um recurso a mais para o ganho de qualidade de vida, pode ajudar a acelerar o metabolismo e a eliminar toxinas, mas consiste em prática complementar, que deve estar associada a hábitos saudáveis.

Fotos: Samuel Gê e Geraldo Goulart/Encontro
(foto: Fotos: Samuel Gê e Geraldo Goulart/Encontro)

Fotos: Rogério Sol e Samuel Gê/Encontro
(foto: Fotos: Rogério Sol e Samuel Gê/Encontro)

Fotos: Rogério Sol e Samuel Gê/Encontro
(foto: Fotos: Rogério Sol e Samuel Gê/Encontro)

Últimas notícias

Comentários