Fora, torcicolo

Além de garantir uma boa noite de sono, o travesseiro correto pode evitar dores no pescoço e na coluna. Especialistas dão as dicas de como escolher

por Daniela Costa 15/12/2015 15:29

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Victor Schwaner/Encontro
A estudante Anna Beatriz Malta sofria com dores no pescoço: "O ortopedista sugeriu apenas que eu trocasse o travesseiro alto por um mais baixo. Foi tiro e queda" (foto: Victor Schwaner/Encontro)
Motivos para tirar o sono, muita gente tem. O problema é quando, além de dormir mal, ainda se acorda sentindo dor no pescoço, nos ombros, na coluna e até dor de cabeça. Pronto! O  rendimento do dia inteiro fica comprometido. A estudante Anna Beatriz Malta, de 15 anos, já perdeu as contas de quantas vezes acordou com o famoso mau jeito no pescoço, sem conseguir fazer qualquer movimento. Além de ficar cansada e com sono, fazia uso constante de medicamentos. Com o tempo, a situação se agravou, até que decidiu buscar ajuda médica para descobrir a origem do problema e se surpreendeu com o resultado: "O ortopedista sugeriu apenas que eu trocasse o travesseiro alto por um mais baixo. Foi tiro e queda", diz.

A escolha do travesseiro parece uma tarefa simples, e a maioria das pessoas desconsidera os riscos de uma compra errada. "Além de prejudicar o sono, o que interfere em todo o funcionamento do organismo, o uso inadequado pode trazer problemas de coluna, torcicolos, dores musculares e até tendinite, artrite e artrose", diz o médico ortopedista Philipe Maia. Segundo a Organização Mundial de Saúde, oito em cada dez pessoas têm ou ainda terão problema de coluna, a maioria por má postura. O que muitos desconhecem é que a postura correta também deve ser mantida enquanto se está dormindo, isso porque os músculos e ligamentos das costas relaxam e se curam nesse período. "Por isso, é tão importante investir em travesseiros e colchões adequados. Eles atuam em conjunto", diz o médico. "Na verdade, deveríamos ter mais de um tipo de travesseiro que se adéque às diferentes posições em que dormimos."

Victor Schwaner/Encontro
O gestor pedagógico Marcelo Seabra investiu em novo travesseiro e em atividades físicas para fortalecer a musculatura: "Além de dormir melhor, tenho muito mais disposição para trabalhar" (foto: Victor Schwaner/Encontro)
O primeiro passo para perceber se o travesseiro está cumprindo sua função é verificar se a coluna está bem alinhada com seu uso e se o formato se molda à curvatura natural do pescoço. O ideal é manter orelhas, ombros e quadris alinhados. O uso de travesseiros adicionais auxilia a manter a postura. Para quem gosta de dormir de barriga para cima, utilizar um pequeno travesseiro sob o joelho diminui o impacto da coluna. Aqueles que preferem dormir de bruços devem colocar um travesseiro debaixo do estômago e da pélvis para manter o corpo alinhado. Já para os que preferem dormir de lado, a indicação é usar um travesseiro firme entre os joelhos. "É importante colocar travesseiros em lacunas entre o corpo e o colchão", diz o ortopedista. Dormir sem travesseiro é tão prejudicial quanto escolher o modelo errado.

Apostar no fortalecimento da musculatura, com atividades físicas, também é fundamental para evitar dores. "Alongamentos e exercícios de reeducação postural ajudam a fortalecer o centro do corpo e reduzem os riscos de lesões", explica a fisioterapeuta Bárbara Alves de Oliveira. O gestor pedagógico Marcelo Seabra, de 33 anos, não aguentava mais sofrer com torcicolos. Por insistência do pai, que é médico, trocou o travesseiro e entrou na academia. "Minha qualidade de vida melhorou totalmente. Além de dormir melhor, tenho muito mais disposição para trabalhar", diz.

Últimas notícias

Comentários