Confira exercícios para deixar o bumbum em forma

As atividades, recomendadas por especialistas, valem por questões estéticas e de saúde

por Daniela Costa 20/03/2017 14:22

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Cláudio Cunha/Encontro
Viciada em atividades físicas, a empresária Juliana Andrade Ribeiro, 30 anos, já fez balé, handeball, natação, capoeira, corrida, ioga e hoje pratica treino funcional para os glúteos e kickboxing. "Ter o corpo bonito e saudável não é fácil. Tem de ir à luta" (foto: Cláudio Cunha/Encontro)
Bumbum, balaio, traseiro... Os sinônimos para a principal paixão nacional, em se tratando do corpo feminino, são vários e segundo o sociólogo Gilberto Freyre, que se dedicou ao estudo da formação sociocultural do país em sua obra mais conhecida, Casa-Grande & Senzala, o brasileiro tem mesmo suas razões para gostar de derrière. A preferência surgiu ainda nos tempos da colônia, com negras, mulatas e suas belas ancas. Contudo, o que para algumas mulheres é uma dádiva natural, para outras, desprovidas de tamanha abundância, chega a ser um martírio. Nesses casos, o jeito é correr atrás do prejuízo para conquistar o bumbum modelo: durinho, torneado e empinado. Mas prepare-se. A malhação é pesada, leva tempo e requer dedicação. "Alguns fatores importantes a serem considerados são alimentação adequada, descanso da musculatura e prática correta dos exercícios executados", diz o educador físico Luiz Gonzaga, da Companhia Athletica.

Muito mais que uma questão estética, fortalecer os glúteos é ótimo para a saúde. Os músculos presentes nas nádegas têm a função de ligar a bacia com o osso da coxa, promovendo a estabilização pélvica e da coluna vertebral. Eles exercem uma função na marcha, mantendo a posição ereta e reduzindo as forças que comprimem a coluna. "Por isso, todos os exercícios devem ser executados com atenção e cuidado, observando se a postura está correta, se a amplitude do movimento está sendo feita de maneira desejável e se as cargas são compatíveis com quem realiza o exercício", explica a educadora física Carla Lima, da Academia Runner. Atividades cotidianas, como levantar-se da cadeira ou subir escadas de forma inadequada, podem promover o deslocamento da coluna e levar a lesões traumáticas por repetição. Daí a importância de tanto homens quanto mulheres malharem o bumbum.

Samuel Gê/Encontro
A auditora fiscal Aléssia Serra Aburachid, 47 anos, malha desde os 15 e há pouco tempo passou a fazer aulas específicas para os glúteos: "Com o passar do tempo percebemos o quanto o corpo agradece" (foto: Samuel Gê/Encontro)
A auditora fiscal Aléssia Serra Aburachid, de 47 anos, sempre foi consciente sobre a necessidade de se exercitar. Casada e mãe de 3 filhos, sendo uma gestação de gêmeas, reconhece os resultados. "Malho desde os 15 anos e já fiz balé, ginástica e aeróbico", diz. "Agora também faço aula específica para os glúteos. Com o passar do tempo percebemos o quanto o corpo agradece." Os treinamentos são variados e devem se adequar ao perfil de cada um. Musculação, treinamentos funcionais e aulas coletivas são indicados, mas sempre respeitando os intervalos necessários. "O ideal é trabalhar a mesma musculatura em média três vezes por semana, para evitar a fadiga muscular", afirma o personal trainer Jonathan Santos, da academia Bodytech. O treinamento da empresária Gabriela Barra, de 27 anos, é pesado, focado nos glúteos e no abdômen, mas nunca ultrapassa os limites dela. "Trabalho força e ganho de massa magra. Treino de segunda a segunda, mas tudo cronometrado", diz. Outra empresária, Juliana Andrade Ribeiro, de 30 anos, também é viciada em atividades físicas. Aos quatro anos de idade já fazia balé. Na sequência vieram o handeball, a natação, capoeira, corrida e ioga. Hoje pratica treino funcional para os glúteos e kickboxing. "Ter o corpo bonito e saudável não é fácil. Tem de ir à luta", diz.

Mas mesmo aqueles que não se dedicam tanto à malhação podem conquistar o bumbum ideal. Para esses, uma das modalidades mais eficazes é a musculação. Ao individualizar o treino é possível trabalhar problemas posturais, coordenação motora, encurtamento muscular e resistência cardiovascular, entre outros fatores. Alguns exercícios possuem alta ativação da musculatura dos glúteos, entre eles os de agachamento. A advogada Tarsila Rodrigues, de 34 anos, sempre apostou em sua boa genética. Somente aos 28 anos sentiu necessidade de praticar atividade física. Não se arrependeu. "Eu me sinto muito mais disposta", afirma. "Faço no mínimo meia hora de exercícios na escada por dia para fortalecer os glúteos, além de investir na musculação e ter redobrado os cuidados com a alimentação." Realizar exercícios eficientes e com segurança é fundamental para obter resultados satisfatórios. O educador físico Lui Filho, da Power Cycle, destaca a importância de ter o acompanhamento profissional para otimizar o treinamento. "Muitas atividades tidas como fundamentais são apenas complementares e sozinhas não dão o resultado desejado", diz. "Outras, se mal executadas, podem gerar graves lesões. Todo cuidado é pouco."


Últimas notícias

Comentários