Segundo pesquisa, homens buscam mais alimentos saudáveis do que as mulheres

O resultado aponta uma verdadeira mudança de paradigma na sociedade, diz especialista

por Da redação com assessorias 04/08/2016 10:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
O velho conceito de que os homens costumam ser desinteressados por cuidados pessoais, alimentação saudável e bem-estar, principalmente quando se compara com as mulheres, está, cada vez mais, caindo por terra. Segundo aponta o estudo Alimentação Saudável – Tendências 2015, realizado pela Mintel, empresa internacional de pesquisa de mercado, 73% dos homens costumam comprar produtos com propriedades funcionais, enquanto 68% das mulheres fazem o mesmo. Para a realização da pesquisa, foram entrevistadas cerca de 1,5 mil pessoas, com mais de 16 anos, de todas as regiões do Brasil.

Apesar do resultado do estudo, vale lembrar que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que os homens vivem, em média, sete anos a menos do que as mulheres. Além disso, dados do Ministério da Saúde mostram que o público masculino é mais vulnerável às doenças cardiovasculares.

Para David Oliveira, especialista em produtos saudáveis e veganos, esse comportamento consciente dos homens pode ser considerado uma "evolução". "A imensa disponibilidade de informações sobre o tema e a grande oferta de produtos saudáveis estão transformado o comportamento masculino. Mudanças de hábitos são difíceis e, às vezes, demora bem mais do que uma geração para ocorrerem, porém, elas acontecem quando o ser humano toma consciência da sua necessidade real", comenta David.

Um exemplo de produto muito procurado pelos homens são os laticínios livres de lactose e os biscoitos e pães sem glúten. "Diferentemente das dietas da moda, a alimentação saudável está enraizada em fatores que buscam pela longevidade a uma nova forma de se relacionar com o meio ambiente. Ou seja, quem adere ao estilo de vida, de forma nenhuma retrocederá aos velhos hábitos. O segmento já deixou de ser nicho voltado exclusivamente para públicos específicos como, por exemplo, praticantes regulares de atividades físicas", conclui o especialista.

Últimas notícias

Comentários