Monumento e espelho d'água da reitoria da UFMG estão sendo revitalizados

A escultura é de Sylvio de Vasconcellos e presta uma homenagem a Aleijadinho, o grande mestre do barroco mineiro

por Encontro Digital 13/06/2017 14:46

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Carol Prado/UFMG/Divulgação
As obras de revitalização da escultura e do espelho d'água da reitoria da UFMG já estão adiantadas (foto: Carol Prado/UFMG/Divulgação)
A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) está restaurando o monumento em homenagem a Aleijadinho e o espelho d’água que integram o conjunto arquitetônico e paisagístico da sede da reitoria, e que são tombados pelo Patrimônio Histórico e Cultural de Belo Horizonte. Os trabalhos de intervenção incluem revestimento da escultura de autoria do arquiteto Sylvio de Vasconcellos, com material original – pastilhas de pedra-sabão serpentinita – e recuperação da estrutura do reservatório, que exibe em seu piso a forma de um peixe. As obras fazem parte das comemorações dos 90 anos da UFMG.

A reforma começou no início de janeiro deste ano. "Trata-se de trabalho multidisciplinar, que envolveu engenheiros, arquitetos e outros especialistas, com o objetivo de devolver restaurados à comunidade da UFMG esses belos patrimônios históricos, em condição similar àquela em que foram construídos", comenta o professor Mario Montenegro Campos, pró-reitor de Administração.

Memória

Erguida em 1970, a escultura que fica à frente do prédio da reitoria foi idealizada pelo então reitor Gérson de Britto Mello Boson, em homenagem a Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. Tombado como parte do acervo de Sylvio de Vasconcellos, professor da Escola de Arquitetura da UFMG, cujo centenário foi comemorado em 2016, o monumento é composto também de plataforma de 25 por 45 m, recoberta por pedras itacolomy vermelhas, com acesso por dois lances de degraus pela avenida Reitor Mendes Pimentel. A conservação seguiu as especificações originais de Sylvio de Vasconcellos, que trabalhou com materiais largamente utilizados por Aleijadinho, que caracterizam a arquitetura histórica de Minas Gerais – especificamente o barroco.

Símbolo da arquitetura moderna, o espelho d'água da reitoria é composto de duas alas, com capacidade total de aproximadamente 1,1 milhão de litros. Seu projeto foi elaborado em 1961 e incorporado ao complexo paisagístico de arborização e ajardinamento do prédio da reitoria, de autoria do arquiteto Eduardo Mendes Guimarães Júnior, em coautoria com o também arquiteto Ítalo Pezutte. O espelho d'água tem passarela suspensa sobre pilotis, cascatas e muro ornamental em forma de arco.

Antes da reforma, a universidade havia detectado trincas e fissuras nas lajes de piso, paredes e passarela, responsáveis por perda significativa de água. Após a drenagem, os espelhos d'água tiveram as estruturas recuperadas, as quais receberão novas instalações hidráulicas de recirculação d'água embutidas, sem interferência na geometria original, e impermeabilização, com o objetivo de assegurar a estanqueidade do sistema.

(com Boletim da UFMG)

Últimas notícias

Comentários