Lichia, apesar de nutritiva, pode fazer mal se ingerida em excesso ou em jejum

A fruta típica da Ásia é rica numa substância que inibe a síntese da glicose

por Vinícius Andrade 26/04/2017 09:45

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
A lichia é uma fruta muito comum na Ásia e possui uma substância chamada hipoglicina, que inibe a síntese da glicose em nosso organismo (foto: Pixabay)
Um estudo realizado na cidade de Muzaffarpur, na Índia, e publicado no jornal médico britânico The Lancet Global Health, trouxe preocupação para quem tem o hábito de consumir lichia, fruta típica de países da Ásia. A pesquisa, feita por cientistas americanos e indianos, associa o consumo da lichia à morte de centenas de crianças na Índia. As vítimas apresentavam os mesmos sintomas: convulsão e perda de consciência. Mas, será que essa frutinha, aparentemente tão inofensiva, seria capaz de fazer mal ao ser humano?

De acordo com a nutricionista Márcia Braga, o estudo mostra que a lichia contém altas doses de hipoglicina, uma toxina que inibe a capacidade do corpo de sintetizar a glicose, fazendo com que caia o nível deste carboidrato no sangue. A ingestão da fruta em excesso combinada com o estômago vazio pode ser perigosa. "O consumo exclusivo pode ser tóxico, podendo causar pressão baixa, dores gastrointestinais, problemas respiratórios, edemas na pele, tontura, inconsciência, convulsões e óbitos", relata a especialista.

Falta de glicose

O corpo humano necessita de uma quantidade específica de açúcar para o funcionamento adequado. A falta de glicose no sangue é chamada de hipoglicemia e ocorre, normalmente, devido a jejuns prolongados, alimentação inadequada ou em casos específicos, como nos diabéticos e em pessoas com deficiência endócrina ou doenças crônicas, que diminuem o metabolismo.

Combate ao diabetes

Já que a hipoglicina diminui os níveis de glicose no sangue, a lichia poderia ser um aliado dos diabéticos? Segundo Márcia Braga, essa pergunta não pode ser respondida, porque ainda não existem estudos científicos que comprovem a eficácia da fruta no tratamento do diabetes. Ela recomenda o consumo, desde que seja moderado.

"Dentre seus nutrientes, a lichia apresenta substâncias tais como cálcio, vitamina C, proteína, magnésio, potássio, fósforo, riboflavina, niacina, tiamina e fibra, sendo um alimento antioxidante importante para o sistema imune. Esperamos que, futuramente, pesquisadores possam isolar tais compostos e desenvolver produtos que possam auxiliar no controle do diabetes", comenta a nutricionista.

Recomendação

Conforme recomendação da especialista, a lichia apresenta propriedades importantes para a saúde humana. A indicação da nutricionista é que a lichia seja consumida, preferencialmente, fresca e acompanhada de outras frutas. O alimento não é recomendado para pessoas que apresentam problemas renais.

Últimas notícias

Comentários