Publicidade

Estado de Minas COMPORTAMENTO

Saiba mais sobre os quatro tipos de vegetarianismo

Quem opta por descartar o consumo de carne no dia a dia pode chegar ao ponto de não comprar qualquer produto que tenha origem animal, inclusive roupas


postado em 25/11/2015 11:39

Atualmente, cada vez mais pessoas se tornam adeptas a dietas alimentares mais equilibradas ou mesmo restritivas. O consumo de produtos derivados de animais é um hábito tradicional, mas que tem sido questionado por muitos, seja por ideologia ou por questões ligadas à saúde e bem-estar.

Para quem pensa em se tornar vegetariano, é necessário esclarecer que existem quatro níveis de vegetarianismo, de acordo com a Sociedade Vegetariana Brasileira. Confira abaixo, a explicação sobre cada um dos níveis, segundo Cristina Ferreira, gerente industrial da Superbom.

  • Ovolactovegetarianismo: essa é a categoria mais moderada do vegetarianismo. Nesta dieta, a pessoa exclui a carne da sua alimentação, mas continua consumindo ovo, leite e queijos, entre outros produtos que são derivados de animais. "Tornar-se vegetariano é um processo. Se alimentar da carne é um hábito, então, aos poucos, a pessoa consegue ir tirando do seu cardápio até chegar em um nível mais radical do vegetarianismo. É importante entender que o paladar vai mudando conforme o tempo e a pessoa passa a não sentir falta daquilo que consumia anteriormente", ressalta Cristina

  • Lactovegetarianismo: neste nível, a pessoa retira a carne e os ovos da alimentação (e qualquer produto que contenha ovos e seus derivados, como a albumina), mas ainda utiliza leite e laticínios. "A diferença é que alguns conseguem abdicar de certos produtos enquanto outros têm mais dificuldade. Esta opção muitas vezes tem ligação com fatores religiosos, principalmente, em países como a Índia", exemplifica a gerente

  • Ovovegetarianismo: a pessoa utiliza ovos nas refeições, mas abdica da carne animal, do leite e seus derivados. "A dieta é baseada em ovos, verduras, leguminosas, cereais e frutas", explica Cristina Ferreira

  • Vegetarianismo estrito ou veganismo: a pessoa não consome nenhum produto de origem animal, seja carne, ovos, laticínios, mel e gelatina. "O mercado já oferece opções para os chamados vegetarianos puros também", diz a especialista. Os veganos restringem também qualquer item que tenha animal vinculado à sua produção, seja da indústria estética, de vestuário ou alimentar. "Para começar a entrar nesse universo, recomendo que a pessoa comece aos poucos, substituindo a carne do seu cardápio e fazendo escolhas mais saudáveis no seu dia a dia. Com maior acesso à informação, a população está mais consciente sobre o impacto dos hábitos alimentares relacionados à qualidade de vida", conclui a gerente

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade