Publicidade

Estado de Minas MINAS

Samarco não assina termo de conduta proposto pelo MPMG

A mineradora deixa passar o prazo dado pelo Ministério Público e estará sujeita às ações do órgão


postado em 10/12/2015 14:11

A mineradora Samarco não assinou o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) proposto pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG)que garante o ressarcimento e  apoio às vítimas da tragédia em Mariana (MG). Há pouco mais de um mês, o rompimento da barragem de rejeitos do Fundão destruiu o distrito de Bento Rodrigues e deixou mais de 600 desabrigados.

O termo de conduta, cujo prazo expirou na quarta-feira, dia 9 de dezembro, previa ações de apoio e ressarcimento às vítimas do rompimento da barragem. A mineradora, que é controlada pela Vale e pela BHP, informou, no entanto, que continua analisando os termos do documento com o próprio Ministério Público.

Sem o TAC, a mineradora está, agora, sujeita a ações propostas pelo MPMG.

(com Radioagência Nacional e Portal EBC)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade