Concurso 'Miss Hitler 2016' causa polêmica na Escócia

O 'evento' politicamente incorreto foi promovido por um movimento fascista escocês

por João Paulo Martins 06/07/2016 13:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
National-action.info/Reprodução
Jovem é eleita "Miss Hitler 2016" por um "concurso" de beleza criado pelo movimento nacionalista de extrema-direita National Action, da Escócia (foto: National-action.info/Reprodução)
Como se não bastasse a volta do livro Mein Kampf (Minha Luta), escrito por Adolf Hitler em 1925, e que foi o precursor do antissemitismo na Alemanha, às bancas da Europa e do Brasil, um concurso politicamente incorreto na Escócia está causando polêmica na internet. Intitulado "Miss Hitler 2016", o "concurso" de beleza foi promovido pelo movimento escocês nacionalista de extrema-direita National Action (Ação Nacional, em tradução livre), e teve início em maio. Este grupo é conhecido por ser xenófobo e antissemita.

Na página oficial do National Action foram divulgadas as entrevistas com as "candidatas", que, obviamente, precisavam ser integrantes do movimento. Uma delas, que usa o pseudônimo A_BUS_FULL_OF_RETARDS, eleita a "Miss Hitler" de 2016, quando questionada sobre um sacrifício que teria feito para se tornar membro do grupo, conta que "tinha uns amigos com ideais claramente antifascistas, e que, por isso, deixou de conversar com eles". O grupo fascista fez ainda uma pergunta perturbadora à escocesa: "Hipoteticamente, se você pudesse matar alguém e sumir com o corpo, quem seria e porquê?". A resposta da jovem foi clara: "Eu colocaria a Angela Merkel [chanceler alemã], sem nenhuma proteção, num dos campos de refugiados dela e deixaria que eles fizessem o resto".

A divulgação do "Miss Hitler 2016" havia sido feita no Facebook, mas a rede social bloqueou a conta do movimento. O resultado foi então colocado no Twitter e no site do grupo. Logo surgiram reações na internet e no Reino Unido. O Conselho Escocês das Comunidades Judaicas (Scottish Council of Jewish Communities), em comunicado enviado à imprensa, diz que esse "concurso" de beleza é "totalmente desprezível". A instituição judaica argumenta que o National Action representa "um bando de idiotas sem qualquer ideia, que apoia o movimento de extrema-direita English Defense League, somente porque não tem mais nada para fazer". Esse outro movimento de extrema-direita citado pelo conselho foi criado como oposição ao que chamam de "islamização" do Reino Unido.

A Câmara de Deputados de Judeus Britânicos, por meio de um porta-voz, também se mostrou chocada com o evento antissemita. "Este é um caso clássico de incitação ao ódio racial. Provavelmente é o pior concurso de beleza já feito", diz o órgão que representa a comunidade judaica no Reino Unido, em entrevista ao jornal inglês The Independent.

Últimas notícias

Comentários