Publicidade

Estado de Minas TECNOLOGIA

Já foi 'dada a largada' para a expansão do Parque Tecnológico de Belo Horizonte

Construção do novo prédio no BH-TEC deve entrar em processo de licitação em breve. Expectativa é que o edifício fique pronto no final de 2018


postado em 25/08/2016 11:32 / atualizado em 26/08/2016 14:51

O Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-TEC) iniciou, na sexta-feira, dia 29 de julho, uma consulta pública para a seleção do parceiro imobiliário na construção de novo edifício, que ficará instalado ao lado da sede atual. A expansão prevê o lançamento do chamado "Prédio 2", com possibilidade de abarcar empresas de várias áreas, de acordo com a presidência do parque tecnológico.

A gestão do BH-TEC prevê que o custo do empreendimento seja de aproximadamente R$ 60 milhões, dentro do modelo de construção adotado. As bases de instalação já contam, inclusive, com planejamento específico, considerando-se o perfil da região de Belo Horizonte como polo de empresas nas áreas de biotecnologia, tecnologia da informação, eletroeletrônica e automação industrial.

"A área de biotecnologia, por exemplo, exige laboratórios especiais. Por isso, foi previsto que o prédio terá, nos dois andares inferiores, preparação para receber laboratórios de Química e Biologia, geralmente denominados 'laboratórios molhados'", antecipa Ronaldo Tadêu Pena, diretor presidente do BH-TEC. "O prédio terá cerca de 20 mil m² de área construída, com aproximadamente 12 mil m² de área bruta locável", complementa.

O projeto

Segundo informações do BH-TEC, o modelo do projeto foi desenvolvido sob coordenação do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). "O acordo inicial dos parceiros públicos previa que a UFMG cederia o terreno por 30 anos, a Prefeitura de Belo Horizonte [PBH] construiria a infraestrutura [ruas, energia, água, esgotamento sanitário, rede de fibra ótica] e o estado construiria o primeiro prédio", observa Pena.

Pelo modelo de licitação, será definido parceiro privado para o investimento imobiliário. Após a construção, o parceiro terá concessão de operação por 30 anos, a partir da data de obtenção do alvará. Encerrado o prazo, a posse será transferida à universidade.

Concluído o processo de licitação com êxito, o Parque Tecnológico espera que os projetos executivos possam ser apresentados pelo licitante vencedor em até três meses. Além disso, projeta-se que, em mais três meses, os mesmos possam estar aprovados pela PBH. "O prazo de construção previsto é de 18 meses. Dessa forma, temos a expectativa de ter o prédio pronto no segundo semestre de 2018", afirma Ronaldo Pena.

BH-TEC

O Parque Tecnológico de Belo Horizonte conta, por enquanto, com um edifício em funcionamento, em que estão instaladas 16 empresas de tecnologia. Nele, atualmente, estão a sede da Associação Nacional de Empresas de Biotecnologia, bem como dois centros de tecnologia da UFMG (CTVacinas e CTWeb).  Além disso, em outro prédio está instalado provisoriamente o Centro de Tecnologia em Nanotubos de Carbono da UFMG (CTNanotubos).

"Também o Centro de Pesquisa René Rachou, da Fundação Oswaldo Cruz [Fiocruz], hoje no Barro Preto, deverá construir suas instalações no parque", diz o diretor do BH-TEC.

A sede institucional do Parque Tecnológico de Belo Horizonte está localizada na rua Professor José Vieira de Mendonça 770, bairro Engenho Nogueira, reigão norte de Belo Horizonte.

(com Agência Minas)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade