Descoberta no Egito uma cidade de mais de 7 mil anos

Na escavação próxima ao templo de Seti I, os arqueólogos encontraram os vestígios da cidade erguida em 5.300 a.C.

por João Paulo Martins 25/11/2016 08:17

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
EGYPTIAN MINISTRY OF ANTIQUITIES/Divulgação
Arqueólogos encontraram vestígios de uma cidade muito antiga no Egito, nas proximidades de Abydos e do rio Nilo, datada de mais de 7 mil anos (foto: EGYPTIAN MINISTRY OF ANTIQUITIES/Divulgação)
Segundo informações da agência britânica de notícias BBC, durante escavações realizadas a apenas 400 m do rio Nilo e do templo de Seti I, na cidade de Abydos, no Egito, arqueólogos encontraram uma cidade antiga e um cemitério que estariam datados de 5.316 a.C. Os cientistas acreditam que devido à qualidade dos vestígios arqueológicos, o local devia abrigar cidadãos importantes, incluindo os responsáveis pela construção dos túmulos dos reis e de muitos templos em Abydos.

"A cerca de poucos quilômetros de onde a escavação foi feita, encontramos uma necrópole com tumbas reais datadas de um período anterior à época em que os faraós recebiam nomes. Com isso, estamos conseguindo identificar uma realeza muito antiga", diz o egiptologista Chris Eyre, da Universidade de Liverpool, em entrevista à BBC. Ele completa explicando que a região onde está localizada a nova cidade devia ser uma espécie de capital dessa era inicial do Egito.

De acordo com informações do ministro das Antiguidades do Egito, Mahmud Afifi, no local das escavações foram encontradas casas térreas, objetos de cerâmica e instrumentos de pedra. Além disso, os arqueólogos descobriram 15 grandes sepulturas. "Esta descoberta pode esclarecer muita coisa sobre a história de Abydos", comenta o ministro durante coletiva de imprensa.

Vale lembrar que em 2014, arqueólogos americanos descobriram um túmulo de um faraó até então desconhecido, intitulado Senebkay, que governou o Egito há 3,7 mil de anos.

(com Agência Sputnik)

Últimas notícias

Comentários