Publicidade

Estado de Minas VEíCULOS

Mobi três cilindros chega, se apresentando como o mais econômico

O novo modelo do subcompacto da Fiat traz o motor Firefly 1.0


postado em 24/11/2016 16:25 / atualizado em 24/11/2016 17:44

A Fiat encerra o ano com o lançamento da versão Drive do subcompacto Mobi, equipada com motor de três cilindros, solução que vinha sendo pedida pelo mercado desde a primeira apresentação do carro há sete meses, até então oferecido apenas com motorização de quatro cilindros.

O Mobi precisava dessa versão para crescer suas vendas e se aproximar tecnologicamente de vários concorrentes com esse tipo de propulsor no mercado, principalmente o Up!, da Volkswagen, que disputa a liderança desse segmento.

O novo motor é o Firefly 1.0 três cilindros, que faz sua estreia no Brasil. Aclamado pela FCA como o mais econômico da categoria entre os motores aspirados – a VW oferece a opção TSI turbo para o Up! –, tem potência que chega a 77 cv e torque de 10,9 kgf.m a 3.250 rpm, ambos com 100% de etanol.

A versão Drive do Mobi já está disponível na rede Fiat com preço sugerido de R$ 39.870. Como opcionais, a montadora italiana oferece dois pacotes: o Live One, que, por meio de um aplicativo, transforma o smartphone de quem usa o carro no sistema de conectividade do veículo e inclui outros itens, ao preço de R$ 4.650; e o Radio Connect, por R$ 4.500.

A Fiat espera atingir vendas mensais de 4,3 mil unidades e acredita que, desse total, 20% sejam da versão Drive.

(foto: Fiat/Divulgação)
(foto: Fiat/Divulgação)

Hoje disponível com transmissão manual de cinco velocidades, o Mobi Drive será em breve oferecido também com câmbio Dualogic (automatizado), o que, segundo o fabricante, deve reduzir ainda mais o consumo.

Outro diferencial dessa versão é a direção elétrica de série, com a função City, ativada por meio de um botão no painel. Ela fica mais leve, reduzindo a necessidade de esforço durante as manobras de estacionamento e é desativada automaticamente em velocidades maiores, mantendo a segurança durante a condução.

Dando exemplo aos que insistem oferecer quadros de instrumentos básicos, ultrapassados e com poucas informações, o Mobi Drive traz como item de série a tela de LCD de alta resolução junto ao quadro de instrumentos, com diversas funções, como velocímetro digital, econômetro, trip A e B, alerta de lâmpadas queimadas, temperatura e número de horas em funcionamento do motor entre outras.

O pacote de equipamentos de série do Mobi Drive é bom. Além dos itens já citados, ele inclui: ar-condicionado; chave canivete com telecomando; vidros elétricos nas portas dianteiras e trava elétrica nas quatro portas com função one touch e antiesmagamento; limpador; lavador e desembaçador do vidro traseiro; abertura interna da tampa do tanque de combustível e do porta-malas; volante com regulagem de altura; cintos de segurança dianteiros com regulagem de altura; banco traseiro bipartido; cargo box; lane change; ESS; sinalização de frenagem de emergência; e pneus "superverde" com alta durabilidade e maior aderência. Ficam faltando os vidros elétricos nas portas traseiras e o sistema Isofix de fixação de cadeiras infantis.
(foto: Fiat/Divulgação)
(foto: Fiat/Divulgação)

Vale detalhar a oferta do Fiat Live On para o Mobi Drive. Por meio de um aplicativo exclusivo, o sistema transforma um smartphone comum na central multimídia do veículo, que pode ser acessada pela própria tela do aparelho ou pelo volante multifuncional. É um novo conceito de conectividade e integração do veículo com o celular, via bluetooth. Essa solução torna mais fácil e prática a vida de todos. A de quem usa o Mobi Drive, que faz de seu carro a extensão de seu inseparável smartphone, e a do fabricante, que tem seu custo de produção reduzido ao não ter a necessidade de equipar o carro com o hardware do sistema. Essa deverá ser uma tendência e tem tudo para representar o fim do GPS como item dos automóveis do futuro.

A integração do Live On é realizada fixando-se o smartphone no suporte retrátil no painel do veículo, que tem entrada USB para carregar a bateria do aparelho. Além de acessar aplicativos de trânsito e de músicas como o Spotify, rádios, fotos, internet e realizar e receber chamadas, o Fiat Live On traz ainda uma série de aplicativos de auxílio ao motorista, como o EcoDrive, que orienta como dirigir o veículo de forma mais econômica e o Onde Parei?, que informa o último local em que o veículo foi estacionado, facilitando sua localização.
(foto: Fiat/Divulgação)
(foto: Fiat/Divulgação)

Para quem faz questão de um carro mais completo, a lista de opcionais oferece ainda o rádio Connect com bluetooth e entradas USB e auxiliar, retrovisores elétricos com Tilt Down e luz de seta integrada, sensor de estacionamento traseiro, volante multifuncional, faróis de neblina, alarme com telecomando, console de teto com espelho auxiliar e rodas de liga leve 14".

Pode-se equipar ainda mais o Mobi Drive com outros opcionais como bancos com acabamento Premium, porta-óculos, porta-revistas nos encostos dos bancos dianteiros, apoio para o pé e detalhes com acabamento em preto brilhante. Os acessórios originais MOPAR complementam a lista, oferecendo central multimídia com TV Digital e retrovisor interno com câmera de ré.

Consumo

Segundo o programa de Programa Brasileiro de Economia Veicular PBEV, o consumo do Mobi Drive com etanol é de 9,6 km/l no ciclo urbano e 11,3 km/l na estrada. Com gasolina é de 13,7 km/l e 16,1 km/l respectivamente. A título de comparação, as marcas do VW Up! Tsi são de 9,6 km/l e 11,1 km/l com etanol. Com gasolina são de 13,8 km/l e 16,1 km/l. No teste drive de lançamento de 27 quilômetros feito por nossa reportagem em trecho misto de terra, estrada e ciclo urbano em Bragança (SP), conduzindo da forma mais econômica possível, a média obtida no computador de bordo, com o tanque abastecido de gasolina, foi de 18,5 km/l.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade