Segundo ministra Cármen Lúcia, preso 'custa mais' que um estudante

A presidente do STF explica que o custo para se manter um preso no Brasil é 9% maior que o gasto com um estudante do ensino médio

por Encontro Digital 11/11/2016 10:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Gláucio Dettmar/CNJ/Divulgação
No início de novembro, a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal, fez uma visita ao Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília (foto: Gláucio Dettmar/CNJ/Divulgação)
A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, disse na quinta, dia 10 de novembro, que um preso custa, por mês, R$ 2,4 mil para os cofres públicos do Brasil, enquanto o gasto com um estudante do ensino médio chega a R$ 2,2 mil. Segundo a ministra, os números mostram que "alguma coisa está errada na nossa pátria amada".

As afirmações da ministra  do STF foram feitas pela manhã, em Goiânia, onde ela participou de uma reunião entre secretários de Segurança Pública dos estados para debater o Plano Nacional de Segurança, que está em discussão pelo governo federal.

Segundo Cármen Lúcia, o combate à violência exige ações em conjunto entre os estados e a união. "Darcy Ribeiro fez em 1982 uma conferência dizendo que, se os governadores não construíssem escolas, em 20 anos faltaria dinheiro para construir presídios. O fato se cumpriu. Estamos aqui reunidos diante de uma situação urgente, de um descaso feito lá atrás", diz a ministra.

No início de novembro deste ano, Cármen Lúcia, que também preside o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), fez uma visita surpresa ao Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. Durante a inspeção, onde observou no local os mesmos problemas que atingem a maioria dos presídios brasileiros, como superlotação, carência de servidores e prestação precária de serviços.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários