Publicidade

Estado de Minas TECNOLOGIA

Seu celular pode estar 'ouvindo' todas as suas conversas

Já percebeu que, às vezes, surgem anúncios nas redes sociais ligados a temas que conversou com alguém?


postado em 01/11/2016 11:57 / atualizado em 01/11/2016 12:21

Você está em casa conversando com familiares sobre uma série de sucesso da TV a cabo. Em seguida, ao usar o smartphone para navergar na internet, repara que alguns anúncios são relacionados a séries de um famoso serviço de streaming de vídeo. Coincidência? Não para José Matias Neto, diretor de suporte técnico na Intel Security.

Segundo o especialista, existe uma nova técnica chamada de "snoop" (bisbilhotar, em inglês), que vem sendo usada por empresas de tecnologia para monitorar as atividades feitas no celular e até mesmo acessar o microfone e gravar o som ambiente de forma remota. "A técnica está sendo usada para direcionar anúncios online aos consumidores. Este tema está começando a ser bastante discutido nos Estados Unidos. Muitas pessoas dizem perceber anúncios direcionados em mídias sociais ou ferramentas de busca sobre produtos ou marcas que foram assuntos em conversas privadas, realizadas próximas a celulares", comenta José Neto.

O diretor da Intel Security afirma que os sites de busca e as redes sociais mais populares garantem que não usam qualquer tipo de ferramenta de "snoop". No entanto, como mostra o especialista, é comum que aplicativos tragam a tecnologia embutida, e que passa despercebida pela maioria dos usuários, principalmente na hora de ler o "contrato" ou de aceitar as permissões dos programas – o que podem acessar ou não no aparelho. "Como a maioria das pessoas não lê o contrato ao instalar um aplicativo, não sabem que podem estar liberando o acesso ao microfone do aparelho e sendo espionadas", diz José Neto.

Ele lembra que essa espécie de "espionagem" promovida pelo "snoop", mesmo que com o consentimento não intencional do usuário, consiste numa prática ilegal. Afinal, além de capturar informações para a exibição de anúncios, as empresas podem "ouvir" também dados sigilosos, incluindo senhas de bancos. "A recomendação é sempre ler atentamente a permissão de acesso de todos os aplicativos baixados. Se perceber que um aplicativo está tendo acesso mais ferramentas do que o necessário, especialmente o microfone, evite fazer o download", esclarece o diretor da Intel Security.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade