Fifa volta a punir o Chile por atos homofóbicos da torcida

Os torcedores chilenos ficarão de fora de dois jogos das Eliminatórias da Copa de 2018

por Encontro Digital 20/12/2016 09:56

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Facebook/pg/ANFPChile/Reprodução
É a oitava vez que a Fifa pune a Seleção Chilena por atitudes homofóbicas de sua torcida (foto: Facebook/pg/ANFPChile/Reprodução)
A Federação Internacional de Futebol (Fifa) anunciou na segunda, dia 19 de dezembro, que a seleção do Chile terá que pagar uma multa e ficará fora de dois jogos das Eliminatórias para a Copa da Rússia de 2018 por causa dos insultos de caráter homofóbicos lançados por sua torcida. Esta não é a primeira vez que o time é punido. A informação foi divulgada pela Rádio França Internacional.

A seleção chilena terá que pagar 30 mil francos suíços (cerca de R$ 100 mil) como sanção pelo comportamento de seus torcedores durante o jogo de 15 de novembro contra o Uruguai. Na partida, a torcida entoou várias canções homofóbicas.

Além do Chile, a Fifa decidiu punir outras federações por incitação à homofobia. Argentina, Colômbia, Panamá, Honduras e México estão na lista da federação, além da Romênia do lado europeu.

No caso da equipe chilena, esta é a oitava punição pelo mesmo motivo. Desta vez, além da multa, o time, cuja torcida já é chamada pela imprensa local de "a mais homofóbica do mundo", ficará fora dos jogos oficiais contra o Paraguai e Equador, que estavam previstos para agosto e outubro de 2017, respectivamente, no Estádio Nacional de Santiago.

O comportamento dos torcedores chilenos tem gerado muitas reclamações. Em setembro, até o presidente da Bolívia, Evo Morales, reclamou no Twitter, e depois em carta enviada à Fifa, da "conduta imprópria" dos torcedores da "Roja" (como é conhecida a Seleção Chilena) durante um jogo em Santiago contra a seleção do país vizinho.

Associações locais, como o Movimento de Integração e Liberação Homossexual, uma entidade LGBT chilena, já disseram que a homofobia é parte do futebol nacional e pediram campanhas educativas e de sensibilização.

(com Portal EBC e Rádio França Internacional)

Últimas notícias

Comentários