Publicidade

Estado de Minas POLíTICA

Para Joaquim Barbosa, 'baderna' toma conta do Brasil

O ex-ministro do STF diz que país vive momento de instabilidade política e econômica


postado em 02/12/2016 08:24

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo na quinta, dia 1º de novembro, o ex-ministro e ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa diz que é preciso que cada brasileiro reflita sobre o papel que exerce na atual conjuntura econômica e política do Brasil. "Cada um faça uma boa reflexão e assuma a sua parcela de culpa pela 'baderna' institucional que está tomando conta do país", afirma o mineiro de Paracatu. Para ele vivemos um momento de extrema instabilidade política e econômica.

Barbosa comentou também a aprovação pela Câmara dos Deputados da chamada Lei Anticorrupção, na terça (29), enquanto o país estava comovido com a tragédia aérea envolvendo a equipe da Chapecoense. O texto que saiu com o aval dos deputados inclui a cláusula de punição de juízes e magistrados por "abuso de autoridade". "É um desdobramento do controvertido processo de impeachment, cujas motivações reais eram espúrias. Se eu posso derrubar um chefe de estado, por que não posso intimidar e encurralar juízes?", critica o ex-ministro do STF.

Aposentado, Joaquim Barbosa se tornou foco das atenções durante o julgamento dos 38 réus do Mensalão. Quando questionado pela Folha sobre o impeachment de Dilma Rousseff, o jurista afirma ter sido uma "encenação" e que a instabilidade gerada pelo processo pode afetar diretamente o governo de Michel Temer. Para ele, o atual presidente não deve governar apenas para o Congresso. "Ele [um presidente] governa em função da legitimidade, da liderança, da expressão da sua vontade e da sua sintonia com o povo. Dilma não tinha nenhum desses atributos. Aí ela foi substituída por alguém que também não os têm, mas que acha que está legitimado pelo fato de ter o apoio de um grupo de parlamentares vistos pela população com alto grau de suspeição", esclarece o ex-presidente do STF.

Lula

Sobre a investigação e as acusações que vêm sendo feitas contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Joaquim Barbosa conta que nunca analisou o processo envolvendo o petista e que espera uma boa justificativa caso ele seja condenado. "Uma prisão sem fundamento de um ex-presidente com o peso e a história do Lula só tornaria esse olhar ainda mais negativo. Teria que ser algo incontestável", comenta o mineiro.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade