Publicidade

Estado de Minas BRASIL

Usina de Itaipu está a um passo de bater o recorde mundial de produção de energia

Até o fim do ano a hidrelétrica deve ultrapassar os 102 milhões de MWh, batendo a usina chinesa de Três Gargantas


postado em 16/12/2016 17:26

A usina hidrelétrica de Itaipu quebrou, às 11h01 desta sexta-feira dia 16 de dezembro, seu recorde anual de geração de energia ao ultrapassar a marca de 98,63 milhões de megawatts-hora (MWh), que havia sido registrado em 2013, e está muito próxima de alcançar o recorde mundial atingido pela usina Três Gargantas, na China, que produziu 98,8 milhões de MWh em 2014.

A expectativa da empresa é que, na quarta-feira, dia 21 de dezembro, a hidrelétrica deverá romper a marca inédita dos 100 milhões de MWh gerados em um ano. Segundo a Itaipu, esta será a primeira vez na história que uma usina alcança tamanha produção de energia em um ano, suficiente para abastecer o consumo de todo o planeta por quase dois dias. A empresa prevê que, até o fim do ano, a geração de energia ultrapasse os 102 milhões de MWh.

No ano passado, Itaipu também ultrapassou Três Gargantas e voltou a ser a maior em produção anual de energia elétrica. Em 2015, a usina binacional, que pertence ao Brasil e ao Paraguai, produziu 89,2 milhões de MWh, o que representou 2,5% a mais que a chinesa.

Em 2014, Itaipu havia perdido a posição de líder mundial de produção anual de eletricidade em decorrência da crise hídrica enfrentada pelo Brasil por conta da seca que atingiu grande parte do país, pelo segundo ano consecutivo.

Histórico

Desde a entrada em operação, em maio de 1984, Itaipu já gerou 2,4 bilhões de MWh, o que representa a maior produção de energia acumulada do mundo. Essa energia seria suficiente para suprir o consumo de todo o planeta por 40 dias. No entanto, a capacidade instalada de Itaipu é menor que a de Três Gargantas, com 14 mil MW (que a usina consegue gerar de uma única vez), frente a 22,4 mil MW da chinesa.

Itaipu responde por 17% de toda a energia elétrica consumida no Brasil e atende a 82% do consumo paraguaio de eletricidade. A usina gera 2,7 mil empregos diretos: 1,4 mil no Paraguai e 1,3 mil no Brasil. Para construí-la, foram necessários U$$ 27 bilhões, captados em órgãos nacionais e internacionais, incluindo as rolagens financeiras. Atualmente, a dívida é US$ 10 bilhões. Cerca de 60% dos custos anuais têm como destino o pagamento dessa dívida. O pagamento total da dívida ocorrerá no primeiro trimestre de 2023.

A construção da usina é resultado de intensas negociações entre o Brasil e o Paraguai, iniciadas ainda na década de 1960. Em 26 de abril de 1973, foi assinado o Tratado de Itaipu, instrumento legal para o aproveitamento do potencial hidráulico do Rio Paraná. Em maio de 1974, foi criada a empresa Itaipu Binacional, para construir e gerenciar a usina.

(com Agência Brasil)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade