Sabia que as orcas mais velhas decidem ser "vovós" para se 'dedicarem' à família?

Estudo mostra que essas 'baleias' preferem ajudar as filhas a criar os netos do que continuar reproduzindo

por Encontro Digital 16/01/2017 13:08

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Segundo estudo inglês, as orcas mais velhas decidem virar "vovós" para cuidarem dos netos e garantirem a manutenção de suas gerações (foto: Pixabay)
Além de serem excelentes predadoras, demonstrando muita "inteligência" na caça, as orcas (que não são baleias), quando chegam à "terceira idade", decidem não ter mais filhos para se dedicarem à criação dos "netos" e "bisnetos". Segundo estudo publicado na revista científica Current Biology, esses mamíferos, parentes dos golfinhos, fazem isso para não se tornarem concorrentes das próprias filhas.

"Nossas pesquisas anteriores comprovaram que orcas fêmeas ajudam as filhas na criação dos netos, mas não foi descoberta a razão de tal comportamento. Fêmeas de várias espécies de animais se tornam líderes nos seus grupos quando atingem a 'terceira idade'. Nossas observações recentes mostram que orcas mais velhas entram na menopausa por não serem capazes de competir com as filhas", explica Darren Croft, pesquisador da Universidade de Exeter, na Inglaterra, e um dos autores do estudo.

Na Biologia, acredita-se que a maioria dos animais se reproduz durante toda a vida adulta. Por isso, quando um indivíduo adulto se torna infértil, passa a não ter utilidade para o bando. Ou seja, a vida de muitos mamíferos limita-se ao "prazo de sua fertilidade". Na natureza, portanto, há duas exceções para essa "regra" entre os mamíferos: o homem e a orca.

Nos humanos, a vida das mulheres após a menopausa costuma ser explicada pela "hipótese da avó". De acordo com o senso comum, mulheres param de se reproduzir por razões de evolução – ao ajudar as filhas na criação e educação dos netos, as avós aumentam a probabilidade de transmitirem seus genes. Antropólogos comprovaram esta teoria por meio da observação de populações africanas primitivas.

Analisando dados de cientistas americanos, Darren Croft e seus colegas concluíram que as orcas se tornam avós, pois, seus descendentes não são capazes de encontrar alimentos e se protegerem sozinhos. Por outro lado, segundo revelam os cientistas, isso não explica por que as "vovós orcas" resolvem não se reproduzir.

No artigo da Current Biology, a equipe de Croft revela a verdade por trás desse "mistério". O grupo analisou dois grandes grupos de orcas compostos por cerca de duas dúzias desses mamíferos. Cada grupo era chefiado por uma fêmea muito velha, que deixou de se reproduzir a aproximadamente 40 anos.

Os cientistas britânicos estavam interessados em conseguir respostas simples: quais fatores, incluindo a idade, influenciam na reprodução das fêmeas. Ao analisar o material de cientistas canadenses, eles descobriram que, quando as orcas fêmeas estavam se aproximando da menopausa, elas enfrentaram grandes problemas quanto à sobrevivência de seus filhotes. Eles morreram mais frequentemente do que os filhotes de orcas jovens. Juntamente com outros fatores, isso poderia obrigá-las a rejeitar a reprodução posterior, por razões evolutivas.

"Em grupos de orcas, as fêmeas idosas são parentes de quase todos os membros, ao contrário das fêmeas jovens. A diferença nos laços parentescos entre mãe e filha resulta na decisão de que as fêmeas velhas devem contribuir para o sucesso comum da família, enquanto as jovens recebem a função de reprodutoras, para perpetuação das gerações", esclarece Darren Croft.

(com Agência Sputnik)

Últimas notícias

Comentários