Cuidado ao usar lentes de contato sem prescrição

Especialista dá dicas para quem usa esse método de correção visual

por Da redação com assessorias 06/04/2017 08:11

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Saia que lavar as lentes de contato com soro fisiológico ou água da torneira pode causar problemas? Confira as dicas do médico! (foto: Pixabay)
No Brasil, metade da população precisa usar óculos ou lentes para correção da visão, segundo dados da Organização Mundial de Saúde. Desse total, só dois milhões optam pelas lentes de contato. O problema é que muitas pessoas usam esse método sem prescrição médica.

De acordo com o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, em Campinas (SP), houve um crescimento na demanda pelas lentes de contato, pois elas são vendidas livremente na internet e em óticas, sem necessidade de receituário, o que coloca a saúde ocular do brasileiro em risco. Vale dizer que o Conselho Federal de Medicina publicou a resolução 1965, que determina que a indicação, adaptação e acompanhamento das lentes de contatos devem ser feitas por médicos.

"Só  quando aparece alguma complicação esta parcela da população consulta um oftalmologista", comenta Queiroz Neto. Uma lente mal adaptada, adverte o médico, pode causar cicatriz e úlcera na córnea, o que pode levar à perda da visão.

O especialista explica que a adaptação à lente inclui análise da curvatura e relevo da córnea, exame de refração, avaliação do filme lacrimal, fundoscopia e teste para saber se haverá aceitação.

No outono, o risco de desconforto ao usar lentes é ainda maior. Isso porque o aumento da poluição no ar desencadeia doenças alérgicas nas vias respiratórias que levam à alergia ocular em 70% dos casos. Em caso de alergia, o oftalmologista recomenda a interrupção no uso do acessório de correção visual.

Erros comuns

Queiroz Neto lembra que o uso de lentes vencidas ou durante o sono, quando a produção lacrimal tem uma redução de 50%, são as causas mais frequentes de úlcera na córnea. Atitudes como essas aumentam o risco de contaminação em 10 vezes, por reduzirem a oxigenação da córnea. O perigo é ainda maior no calor por conta da evaporação da lágrima e proliferação de bactérias no ar.

Outro erro na manutenção das lentes, conforme o especialista, é enxaguar com soro fisiológico. Neste caso, o soro, por não conter conservante, depois de aberto, vira um campo fértil para a multiplicação de bactérias e fungos. Ao primeiro sinal de desconforto – olhos vermelhos, dor, sensibilidade à luz, visão embaçada e sensação de corpo estranho – o especialista indica interrupção do uso e a consulta imediata com o oftalmologista.

Dicas de prevenção do médico Queiroz Neto:

  • Lavar cuidadosamente as mãos antes de manipular as lentes

  • Utilizar solução higienizadora tanto na limpeza quanto no enxágue das lentes e do estojo

  • Friccionar as lentes para eliminar completamente as impurezas

  • Não usar soro fisiológico ou água na higienização

  • Retirar as lentes antes de remover a maquiagem e quando usar spray no cabelo

  • Colocar as lentes sempre antes da maquiagem

  • Guardar o estojo em ambiente seco e limpo e trocá-lo a cada quatro meses

  • Respeitar o prazo de validade das lentes

  • Jamais dormir com lentes, mesmo que sejam liberadas para uso noturno

  • Interromper o uso a qualquer desconforto ocular

  • Retirar as lentes durante viagens aéreas que durarem mais de três horas

  • Não entrar no mar ou na piscina usando lentes

Últimas notícias

Comentários