Entenda as causas da queda da pálpebra

Além da genética e da idade, fatores como coçar os olhos e usar lente de contato podem ocasionar o problema

por Da redação com assessorias 25/05/2017 13:49

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Como mostra a oftalmologista, vários fatores, como genética, idade e uso de lentes de contato, podem causar a queda da pálpebra - problema conhecido como ptose palpebral (foto: Pixabay)
Coçar os olhos pode parecer um hábito inofensivo, mas não é. Isso porque pode levar ao desenvolvimento de uma condição chamada blefaroptose, também conhecida como ptose palpebral. Ela ocorre quando há queda da pálpebra superior abaixo do nível normal e o músculo elevador da pálpebra superior é incapaz de elevar a estrutura. O uso prolongado de lentes de contato também é uma das principais causas da ptose palpebral.

Segundo a oftalmologista Tatiana Nahas, da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, a ptose palpebral causada por lentes de contato está ligada à manipulação excessiva e à dificuldade de colocar e retirar o acessório. "Estudos sugerem que a ptose induzida por lentes de contato é a principal causa dessa condição em jovens e adultos de meia idade", comenta a especialista.

"Em uma pálpebra normal, temos os músculos chamados de orbicular e elevador. Eles agem em sincronia para permitir os movimentos rápidos e contínuos quando piscamos. A ptose acontece quando há problemas nesses músculos, levando à queda da pálpebra", diz a médica.

Esse problema pode ser congênito, ou seja, a pessoa já pode nascer com a condição ou ser adquirido ao longo da vida, devido a diversos motivos. "Entre as adquiridas temos a ptose involucional, que está relacionada ao processo natural do envelhecimento e costuma aparecer depois dos 60 anos. A mais comum entre as ptoses adquiridas é a aponeurótica, que ocorre quando há uma desinserção do músculo que eleva a pálpebra. Entre as causas deste tipo de ptose, como já falamos, estão o hábito de coçar os olhos, o uso prolongado de lentes de contato, o resultado transitório de pós-operatório de cirurgia de catarata e, ainda, devido a alguma inflamação ocular crônica", explica Tatiana Nahas.

Afeta a visão

"Ao contrário do que se possa pensar, a ptose palpebral não é uma questão somente estética. Ela também pode afetar a funcionalidade da visão, pois, algumas pessoas apresentam perda do campo visual superior ou oclusão do eixo visual. Essas condições podem levar a pessoa a 'entortar' a cabeça para enxergar melhor, causando dores musculares e problemas de postura", comenta a especialista.

A oftalmologista esclarece que o diagnóstico da ptose palpebral deve ser feito pelo médico e o tratamento é cirúrgico, principalmente quando afeta o campo visual. "Na maioria dos casos, o resultado da correção cirúrgica é satisfatório. Com o uso de técnicas cirúrgicas modernas, o paciente não fica com cicatriz aparente, já que o corte é feito em uma prega palpebral. A visão tende a voltar ao normal e há melhora da aparência", afirma Tatiana.

Últimas notícias

Comentários