Inflação em maio ficou negativa, segundo o IGP-10

O índice acumula deflação de 0,81% este ano

por Encontro Digital 16/05/2017 09:52

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Agência Brasil/Divulgação
(foto: Agência Brasil/Divulgação)
O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) voltou a fechar com deflação (inflação negativa) em maio, ao variar -1,1%, depois de ter encerrado abril também com inflação negativa de 0,76%. Os dados relativos ao IGP-10 foram divulgados nesta terça, dia 16 de maio, no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas. Em maio de 2016, a variação foi de 0,6%.

Com a deflação de maio, o IGP-10 acumula nos primeiros cinco meses do ano (janeiro a maio) inflação negativa de 0,81%. Já a taxa acumulada nos últimos 12 meses continua positiva em 2,14%.

A inflação negativa foi mais uma vez impactada pela variação dos preços ao produtor, que voltaram a fechar com deflação. Segundo os dados divulgados, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) variou -1,74%, em maio, depois de ter registrado em abril taxa negativa de 1,29%. O IPA responde por 60% da composição do IGP-10.

O resultado é reflexo, principalmente, do comportamento dos preços das matérias-primas brutas, que registraram, em maio, deflação de 5,46%, depois de ter acusado em abril inflação negativa de 3,49%.

Contribuíram para a desaceleração do grupo os itens: minério de ferro (-0,66% para -13,57%), cana-de-açúcar (-0,38% para -2,66%) e leite in natura (4,75% para 1,39%). No sentido contrário, destacaram-se os itens soja (em grão) (-8,23% para -1,80%), milho em grão (-12,33% para -9,62%) e bovinos (-1,75% para -0,92%). Apesar da alta entre um mês e outro, todos os grupos tiveram variações negativas de preços.

Os bens intermediários também registraram variação negativa em maio frente a abril, embora de menor magnitude: -0,38%. No mês anterior, a taxa havia sido de -0,81%.

Único a fechar o mês em alta, também o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação menor em maio, com variação de 0,21% ante 0,42% em abril. Quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação, com destaque para a alimentação (0,92% para 0,23%). Também fecharam com variações menores de preços em maio frente a abril a habitação, cujos preços caíram de 0,6% para 0,03%; educação, leitura e recreação (0,22% para -0,61%) e despesas diversas (0,64% para 0,17%).

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários