Publicidade

Estado de Minas INTERNACIONAL

ONU prevê crescimento menor da economia da América Latina em 2017

Apesar de pequeno, o crescimento representa uma melhora significativa em relação a 2016


postado em 16/05/2017 15:36

O crescimento econômico a nível global está ganhando força, informa a ONU, em comunicado divulgado nesta terça, dia 16 de maio. Entretanto, as Nações Unidas revisou para baixo as projeções para a América Latina e algumas zonas mais pobres do mundo. Em uma atualização de suas previsões, a ONU confirmou que espera que a economia mundial cresça 2,7% neste ano e 2,9% no próximo. A informação é da agência espanhola de notícias EFE.

As Nações Unidas lembram que esses números significam uma aceleração em relação ao ano passado, quando a economia global registrou um crescimento de 2,3%, e correspondem a um aumento da produção industrial e do comércio no mundo, alimentados principalmente pela demanda do leste da Ásia.

No entanto, a ONU revisou para baixo seus prognósticos para várias zonas do mundo, inclusive a América latina, onde prevê um crescimento de 1,1% em 2017, ligeiramente abaixo dos 1,3% projetados em janeiro. Segundo o órgão, a queda corresponde principalmente ao ocorrido em 2016 na América do Sul, onde países como Brasil, Argentina e Venezuela sofreram uma recessão mais dura do que o previsto.

No Brasil, por exemplo, o crescimento este ano será apenas de 0,1%, após um retrocesso de 3,6% em 2016, segundo a ONU. Em conjunto, a economia latino-americana contraiu 1,3% no ano passado e a ONU espera uma recuperação "modesta" para 2017 e melhor em 2018, quando considera que o crescimento chegará a 2,5%. "A região continua enfrentando incertezas e riscos significativos, especialmente relacionados com medidas de política macroeconômica dos Estados Unidos e das agendas de reformas internas", aponta o relatório.

A ONU também revisou para baixo suas previsões de crescimento para a África, especialmente no centro e no oeste do continente, e em vários dos países menos desenvolvidos do mundo.

Na União Europeia (UE), os especialistas das Nações Unidas vaticinam um crescimento de 1,7% tanto em 2017 como em 2018, frente aos 1,8% que apontavam em janeiro. Embora destaque que a perspetiva é "robusta", a ONU adverte, entre outras coisas, que o problema continua sendo o desemprego em países como Grécia e Espanha.

EUA

Já em relação aos Estados Unidos, o relatório melhora ligeiramente as expectativas de crescimento, de até 2,1% neste ano e no próximo, graças a uma aceleração da atividade na segunda metade de 2016 e às perspectivas de uma maior despesa pública. Ao mesmo tempo, chama a atenção para o "turbulento" ambiente político no país, com choques das propostas do executivo com o legislativo e a justiça.

(com Agência EFE e Agência Brasil)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade