Uso de serviços bancários no celular cresce 96% em 2016

Segundo a Febraban, ao menos 9,5 milhões de clientes usam esse tipo de serviço rotineiramente

por Encontro Digital 11/05/2017 08:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
O brasileiro está cada vez mais aderindo ao uso de serviços bancários em dispositivos eletrônicos, segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban). As transações por celular dobraram no ano passado e atingiram o patamar de 21,9 bilhões de operações, um crescimento de 96% em relação a 2015 – os dados foram divulgados pela Febraban na quarta, dia 10 de maio.

Atualmente, 42 milhões de contas ativas no país já usam esse recurso, o que representa um crescimento de 27%. Também aumentou o atendimento em canais digitais e o uso das agências bancárias, ainda responsáveis por 16% dos atendimentos, está mais qualificado.

Os dados se referem a 2016 e fazem parte da Pesquisa de Tecnologia Bancária encomendada pela Febraban. O estudo envolveu 17 instituições financeiras no Brasil, que representam 91% do mercado.

O estudo identificou um aumento expressivo das operações financeiras em smartphones, com crescimento de 140% em um ano, indicando aumento da percepção de segurança nas operações. De acordo com a pesquisa, os três tipos de transações mais realizados pelo mobile banking foram transferências bancárias, pagamentos de contas e consultas de saldos.

Outro dado apontado na pesquisa é que 9,5 milhões de clientes já são considerados "heavy users", ou seja, usuários constantes de serviços bancários em smartphones. Esse público realiza mais de 80% de suas operações por esse canal.

Inovação

Os investimentos no setor foram de R$ 18,6 bilhões de reais no ano, um pouco abaixo dos valores de 2015, e giraram em torno da experiência do cliente. Os investimentos se concentraram em computação cognitiva (processadores capazes de trabalhar com dados de forma antecipada, com 24% do total de recursos) e "analytics" (interpretação de dados para aperfeiçoar os serviços, com 47%).

Segundo a Febraban, há quase um milhão de contas totalmente digitais e a expectativa é que esse número chegue a 3,3 milhões até o final do ano. Contas digitais são aquelas abertas por meio totalmente eletrônico, sem contato presencial entre clientes e instituições financeiras.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários