Publicidade

Estado de Minas ASTRONOMIA

Cientistas encontram vestígios de mais dois planetas no Sistema Solar

Um é o chamado planeta X, e o outro, teria a massa semelhante a Marte


postado em 22/06/2017 12:34

Astrônomos encontraram vestígios da existência de mais dois planetas nos arredores do Sistema Solar após terem analisado caraterísticas do movimento de várias dezenas de planetas anões ao redor do Sol. A informação foi divulgada por um artigo publicado no periódico científico americano Astronomical Journal.

No início de janeiro do ano passado, dois pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), Michael Brown e Konstantin Batygin, declararam ter conseguido calcular a localização do misterioso planeta X, que corresponderia ao nono planeta do Sistema Solar, afastado do Sol a uma distância de 41 bilhões de km e com uma massa 10 vezes superior à de nossa estrela.

Após seis meses de trabalho, Kathryn Volk, da Universidade do Arizona, e seu colega Renu Malhotra calcularam as possíveis órbitas do planeta X e, agora, pressupõem que, na verdade, existem dois corpos celestes, e não um.

"As anomalias que encontramos são inexplicáveis se considerarmos que todos os planetas do Sistema Solar já foram descobertos. Podem ser originadas por um planeta cujo tamanho seja, pelo menos, igual ao de Marte. Não temos razões para duvidar de sua existência, pois tal coincidência no movimento de outros planetas seria bom demais para ser verdade", diz Kathryn Volk no artigo da Astronomical Journal.

Os astrônomos chegaram a tal conclusão após terem analisado as órbitas dos corpos celestes que estão inseridos em diferentes posições no cinturão de Kupier. Eles descobriram que existem dois grupos de planetas anões, cujas órbitas são estranhamente inclinadas e alongadas em relação às de outros corpos celestes nos arredores do Sistema Solar.

Segundo os cientistas, o primeiro grupo de anomalias está ligado ao movimento dos planetas gigantes e do planeta X de Brown e Batygin, enquanto o segundo diz respeito a um outro planeta relativamente grande.

As órbitas do planetas do segundo grupo são menos inclinadas do que as do primeiro. Isso indica que o 10º planeta do Sistema Solar é significativamente menor que o planeta X, sendo uma "super-Terra" ou "mini-Netuno".

De acordo com os cálculos de Volk e Malhotra, esse corpo celeste teria um massa igual à de Marte e ficaria mais perto do cinturão de Kupier e dos demais planetas do Sistema Solar, do que o planeta X de Brown e Batygin. Por isso, ele pode ser descoberto mais cedo do que o X, acreditam os autores do artigo.

Por outro lado, como reconhecem os pesquisadores e como nota Konstantin Batygin, é lógico perguntar por que esse planeta ainda não foi descoberto pelos astrônomos. Os pesquisadores acreditam que isso se deve ao fato de sua órbita estar situada em uma zona do céu próxima ao disco brilhante da galáxia, que acaba ocultando sua luz, que é mais fraca.

(com Agência Sputnik)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade