Publicidade

Estado de Minas CONSUMIDOR

Petrobras deve reajustar os preços da gasolina e do diesel diariamente

A estatal pretende ter seus preços pareados com os do mercado internacional


postado em 30/06/2017 13:00 / atualizado em 16/11/2017 14:45

A Petrobras anunciou nesta sexta, dia 30 de junho, mudanças na sua política de reajuste dos preços da gasolina e do diesel comercializados nas refinarias da estatal em todo o país. Os reajustes poderão ocorrer em menor espaço de tempo, a partir de segunda-feira, dia 3 de julho, com a possibilidade de mudanças diárias, dependendo das oscilações do preço do produto no mercado externo.

A revisão da política de preços da Petrobras foi aprovada pela diretoria executiva e comunicada nesta sexta (30) à imprensa e ao mercado pelos diretores de Finanças e Relacionamento com os Investidores, Ivan Monteiro, e de Refino e Gás Natural, Jorge Celestino.

"Com as alterações, a partir de segunda (3/7), a área técnica de marketing e comercialização da companhia terá delegação para realizar ajustes nos preços, a qualquer momento, inclusive diariamente, desde que os reajustes acumulados por produto estejam, na média Brasil, dentro de uma faixa determinada [-7% a +7%], respeitando a margem estabelecida pelo Grupo Executivo de Mercado e Preços", informa a diretoria da estatal.

Qualquer alteração fora dessa faixa terá que ser autorizada pelo grupo, composto pelo presidente Pedro Parente e pelos diretores executivos de Refino e Gás Natural e Financeiro e de Relacionamento com Investidores.

Na avaliação do diretor Ivan Monteiro, a mudança "representa um novo marco na politica de preços da companhia ao dar maior liberdade e margem de ação à área comercial, que terá liberdade para [praticar para cima ou para baixo] reajustes até mesmo diariamente".

No entendimento da diretoria da estatal, "com a revisão anunciada, a nova política de preços aprovada permitirá maior aderência dos preços do mercado doméstico ao mercado internacional no curto prazo e possibilitará à companhia competir de maneira mais ágil e eficiente, recuperando parte do mercado que vinha perdendo para os derivados importados".

(com Agência Brasil)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade