PIB deve crescer 0,5% em 2017 e inflação ficar na casa dos 3,8%, segundo BC

O Banco Central afirma que as reformas previstas pelo governo devem ajudar a melhorar o cenário econômico

por Encontro Digital 22/06/2017 14:45

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Tânia Rêgo/Agência Brasil/Divulgação
Uma das previsões feitas pelo Banco Central mostra que a inflação em 2017 deve ser de 3,8% (foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil/Divulgação)
O Banco Central (BC) manteve a projeção do crescimento da economia para este ano e reduziu a estimativa da inflação. De acordo com o Relatório de Inflação, divulgado nesta quinta, dia 22 de junho, em Brasília, a estimativa de expansão do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, segue em 0,5% para 2017.

Entretanto, no relatório, o BC cita as reformas propostas pelo governo, como as da Previdência e trabalhista, para que a economia se recupere este ano. "A manutenção, por tempo prolongado, de níveis de incerteza elevados sobre a evolução do processo de reformas e ajustes na economia pode ter impacto negativo sobre a atividade", diz o texto.

Sobre a inflação, o Banco Central informa que "permanece favorável, com desinflação difundida inclusive nos componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária [definição da taxa básica de juros, a Selic]".

No relatório, as projeções para a inflação são apresentadas em quatro cenários. A "projeção central", elaborada considerando as estimativas do mercado para a taxa de juros e de câmbio, indica inflação em torno de 3,8%, 0,2 ponto percentual abaixo da divulgada no relatório de março.

Para o fim de 2018, a projeção permaneceu em 4,5%. Na estimativa da inflação nos 12 meses encerrados no final do segundo trimestre de 2019, o índice cai para 4,3%.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários