Idosos são as principais vítimas de problemas cardíacos no Inverno

Especialista alerta para os cuidados com os mais velhos, que devem tomar a vacina contra a gripe

por Da redação com assessorias 27/07/2017 13:12

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pexels
Médico alerta para os cuidados que se deve ter com os idosos no Inverno, para evitar problemas do coração. Ele recomenda especialmente a vacina contra a gripe (foto: Pexels)
Já que em julho é celebrado o Dia dos Avós (26), é importante lembrar dos cuidados que os idosos demandam, principalmente quando o assunto é o coração. Muitos não sabem, mas no Inverno o número de doenças cardíacas tende a aumentar e acomete principalmente as pessoas com mais idade. Isso acontece devido às baixas temperaturas, que podem causar a diminuição da circulação sanguínea no músculo cardíaco.

"Nós costumamos prestar atenção nas doenças mais comuns dessa época, como gripes e resfriados, mas com a chegada do frio e a diminuição do fluxo sanguíneo, as chances de um idoso com gripe ter um infarto aumentam consideravelmente, e a vacinação contra gripe previne tais eventos", explica o médico Massimo Colombini, especializado em família e que trabalha no aplicativo Docway. Ainda segundo o especialista, um estudo para verificar o impacto da vacina contra gripe na redução de infartos, publicado no ano de 2000, demonstrou uma redução de 78% da ocorrência dos infartos, além de redução dos níveis de hospitalização.

Dados da Associação Americana do Coração (American Heart Association), de 2015, mostram que nesta época do ano, os casos de infarto cardíaco chegam a aumentar entre 20% e 25%, com riscos ainda maiores para aqueles que já tenham uma predisposição ou sofrem de alguma doença no coração. Para evitar esse tipo de situação, além da vacinação, é muito importante ter hábitos saudáveis. "Uma alimentação adequada aliada a exercícios físicos regulares, ainda a prevenção é a forma mais eficaz contra todo tipo de doença", completa Colombini.

Últimas notícias

Comentários