Injeção mensal poderá substituir remédio diário para soropositivos

Estudo mostra que portadores do HIV responderam bem ao retroviral injetável

por Encontro Digital 24/07/2017 12:59

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Uma injeção mensal de medicamento antirretroviral, em vez de uso diário de comprimido, pode ser suficiente para os portadores do vírus da imunodeficiência humana (HIV) manterem a infecção sob controle. É o que indica um estudo divulgado nesta segunda, dia 24 de julho, na 9ª edição da Conferência de Investigação sobre o HIV, em Paris, na França. A informação é da agência espanhola de notícias EFE.

O trabalho, coordenado pelo cientista Joseph Eron, da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, sugere que os portadores em estado de supressão viral respondem bem às injeções, sejam as administradas a cada quatro semanas ou as tomadas a cada oito. Atualmente, os portadores do vírus da Aids devem tomar um comprimido por dia para que o micro-organismo se torne indetectável e não seja transmitido, ainda que não seja possível eliminá-lo completamente.

"Para alguns soropositivos, um tratamento injetável de longa duração pode ser mais cômodo e menos estigmatizante do que o atual, o que poderia aumentar a taxa de continuidade", diz o artigo do estudo americano, que foi testado em centenas de pessoas.

Segundo dados divulgados em emados de julho pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (Unaids), 19,5 milhões das 36,7 milhões de pessoas que são portadoras do vírus HIV, no mundo, têm acesso a tratamento adequado.

(com Agência EFE e Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários