Publicidade

Estado de Minas VEíCULOS | SEGURANçA

Notas baixas para o Fiat Mobi e o Kia New Rio Sedan

Teste de colisão do Latin NCAP mostra deficiência em três modelos de veículos, sendo dois vendidos no Brasil


postado em 02/08/2017 08:53

A quarta série de resultados de 2017 do Programa de Avaliação de Veículos Novos para a América Latina e o Caribe, o Latin NCAP, foi divulgada na terça, dia 1º de agosto, mostrando resultados decepcionantes de zero estrela para a versão de passageiros do Chevrolet N300, apenas uma estrela para o Fiat Mobi e duas estrelas para o Kia New Rio Sedan.

A versão do Chevrolet N300 para passageiros, uma minivan produzida na China, obteve fraca proteção no teste de impacto frontal, ganhando zero estrela para a proteção do ocupante adulto e uma estrela para a proteção do ocupante criança. A falta de airbags e a estrutura instável explicam o alto risco de lesões registrado. A proteção dos ocupantes crianças também foi fraca, o veículo contava com cintos de segurança de dois pontos em dois dos três bancos da segunda fila (onde são instaladas as cadeirinhas de crianças). Não conta com ancoragens Isofix e carece completamente de instruções sobre a instalação adequada dos Sistemas de Retenção Infantil (SRIs). O teste de colisão lateral foi feito a pedido do fabricante, mostrando proteção marginal para o tórax do adulto. Ambas as portas laterais do lado impactado se abriram no teste de colisão.

Já o Fiat Mobi, produzido no Brasil, ganhou uma estrela para a proteção do ocupante adulto e duas estrelas para a proteção do ocupante criança. O Mobi proporcionou proteção marginal ao peito dos adultos no teste de impacto frontal, estrutura estável nesse impacto, sendo fraca a proteção proporcionada ao peito do adulto no impacto lateral. O desempenho estrutural do Mobi no impacto lateral mostrou uma alta penetração igual à do Chevrolet Onix, recentemente analisado. A falta de airbags laterais junto com o ruim desempenho estrutural explicam a baixa pontuação obtida. A porta traseira se abriu no teste de batida de impacto lateral, expondo os ocupantes a potenciais riscos. A falta de cintos de segurança de três pontos em todas as posições dos bancos, bem como o fato de não contar com ancoragens Isofix padrão, preocupa o Latin NCAP, já que isso limita a instalação dos SRIs.

Por sua vez, o Kia New Rio Sedan, fabricado no México, ganhou duas estrelas para a proteção do ocupante adulto e duas estrelas para a proteção do ocupante infantil. Esse novo modelo do Rio Sedan oferece um airbag para o motorista como padrão. A estrutura na batida frontal foi considerada estável, mostrando um bom desempenho no impacto lateral; contudo, a falta de airbags laterais limitou sua capacidade para proporcionar uma melhor proteção. O modelo não conta com freios ABS nem Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) como equipamento padrão. Este fato surpreende o Latin NCAP, pois é um modelo novo, de um segmento muito concorrido que, em outros mercados, proporciona ESC, mais airbags e maior segurança. A falta de ancoragens Isofix's, de cintos de três pontos em todas as posições de assentos, os problemas quanto à instalação dos SRIs e as instruções de instalação limitadas para estes sistemas explicam as duas estrelas obtidas para a proteção da criança.

Em declaração comentando os resultados divulgados na terça (1º), Alejandro Furas, secretário geral do Latin NCAP, diz que "é decepcionante que, depois de passados sete anos da Década de Ação para a Segurança Viária da ONU, nenhum país da América Latina ainda conte com regulamentação efetiva obrigatória de ESC e de proteção contra impactos laterais. Os governos latino-americanos estão, ainda hoje, mais de 20 anos atrasados em relação às regulamentações europeias e estadunidenses a respeito da segurança dos veículos. De um lado, parte desses governos estão dispostos a melhorar, de outro, infelizmente, aqueles que assinam as decisões estão influenciados pelo lobby da indústria para adiar ou bloquear as regulações. O Latin NCAP mostrou a capacidade de impulsionar o mercado para obter carros com segurança além das exigências governamentais. Os governos devem ter uma cooperação mais ativa com o Latin NCAP e tornar obrigatórias a regulamentações dos testes de batida, no entanto sem que as estrelas sejam um limitante ou impeditivo para vender os veículos".

Para Ricardo Morales Rubio, presidente da comissão diretora do Latin NCAP, "é inaceitável que em 2017 os modelos mais populares sejam vendidos com padrões tão baixos de segurança, sendo que os fabricantes oferecem boa segurança padrão para todos os consumidores em mercados como os dos EUA por valores bem mais baixos. Os consumidores da América Latina não devem pagar mais por maior segurança, a segurança dos veículos deve ser democratizada em nossa região",  concluiu.

Com relação ao resultado obtido pelo compacto Mobi, a Fiat Chrysler Automóveis (FCA) enviou seu posicionamento oficial dizendo que "seus veículos comercializados no Brasil atendem todas as normas técnicas vigentes de segurança. Salienta, ainda, que apoia toda e qualquer iniciativa que sinalize trânsito e veículos mais seguros, a exemplo do primeiro automóvel brasileiro equipado com airbag e do primeiro modelo 1.0 dotado de freios ABS, ambos produzidos e comercializados pela empresa".

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade