Publicidade

Estado de Minas SAúDE

Crianças podem sofrer com problemas respiratórios em dias secos

Especialista dá dicas para evitar que os pequenos sofrem com a baixa umidade


postado em 19/09/2017 13:46

Belo Horizonte, assim como muitas cidades brasileiras, vem sofrendo com a baixa umidade relativa do ar, o que afeta principalmente pessoas com problemas respiratórios, idosos e crianças. Em alguns dias o ar fico muito seco, com umidade abaixo de 30%, sendo que o nível aceitável, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) é de 60%.

Mesmo com todo o sofrimento, algumas dicas básicas podem aliviar os sintomas, especialmente para as crianças. Conforme a pediatra e alergista Priscilla Moraes, do aplicativo Docway, apesar de muitos pais usarem umidificadores de ar, ele nem sempre é eficaz. "Se usado corretamente, ajuda. Caso contrário, piora. A umidade do ambiente, quando excessiva, aumenta a proliferação de fungos e ácaros", explica a especialista.

Esse tipo de aparelho requer alguns cuidados especiais para ter eficácia. A médica aconselha usá-lo por períodos curtos. "Ele não pode ficar ligado a noite inteira. Além disso, a umidade do ar deve se manter em no máximo 60%, para evitar a proliferação de fungos e ácaros no ambiente. O fluxo do vapor deve estar sempre voltado para o lado oposto da cama da criança. A manutenção e higienização [do aparelho] devem ser realizadas com frequência", detalha Priscilla Moraes.

Outra opção caso os pais não tenham o umidificador, é a utilização de uma tolha molhada no quarto dos pequenos. "O umidificador de ar pode ser substituído por uma toalha molhada ou por uma bacia com água próximas à cama", comenta a médica, que lembra ainda que é preciso manter o ambiente limpo, arejado e com boa entrada de luz solar.

Para completar, Priscila sugere a higienização das narinas com soro fisiológico várias vezes ao dia. Além de limpar as vias respiratórias, o soro age como um fluidificante e descongestionante nasal. "É bom evitar, também, contato direto das crianças com pessoas que estejam com alguma doença infecciosa respiratória e locais com aglomeração. Por último, mas não menos importante, mantenha a vacinação dos pequenos em dia, assim eles estarão protegidos e livres de complicações", completa a especialista.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade