Publicidade

Estado de Minas PET

Fique de olho na saúde bucal de seu cão

É importante retirar o tártaro e escovar os dentes dos cachorros


postado em 25/09/2017 15:58 / atualizado em 25/09/2017 16:08

Você já ouviu falar na doença periodontal, que afeta a gengiva e os dentes dos cães e gatos? Geralmente, ela é causada pelo acúmulo de tártaro. Segundo a médica veterinária Laís Alarça, da Hercosul Alimentos, o problema é progressivo, ou seja, tende a piorar com o tempo.

"É difícil regredir uma doença periodontal, principalmente porque as pessoas não sabem que ela existe. Como os humanos, os animais também acumulam placa bacteriana e isso gera uma série de problemas, desde dor moderada e perda dos dentes, até uma infecção mais grave", esclarece a especialista.

De acordo com a veterinária, há algumas formas de prevenir essas doenças. Uma delas é levar o animal ao consultório a cada seis meses, para retirada do tártaro. Outra ação importante é escovar os dentes dos cães. Além disso, os tutores devem fornecer alimentos que ajudam na redução do acúmulo de tártaro, como rações que contenham hexametafosfatos ou tripolifosfatos.

"Apesar da doença não regredir, o tutor pode iniciar a escovação em qualquer idade, pois isso evitará a progressão do problema. As escovas e pastas dentais são feitas exclusivamente para animais, por isso, não há motivo para preocupação se o pet engolir o creme dental", afirma Laís Alarça.

Para uma higiene eficaz, a especialista recomenda que se escove uma vez por dia. "Se for possível fazer isso por 10 ou 15 minutos, o efeito será ainda maior. Porém, dependendo do caso, fazer isso uma vez por semana também ajuda", comenta a veterinária. O primeiro passo é escolher a escova e a pasta de dente, que precisam ser de uso veterinário. Encontre um local que o seu cão goste de estar e não seja bruto, pois a impulsividade pode traumatizar o animal.

Doença periodontal

Como mostra Laís, os sinais iniciais de problemas nos dentes dos cães são quase imperceptíveis. O mau hálito é um deles. "Outro sintoma importante é a gengiva inflamada, que, se tratada com agilidade, pode ser estagnada. Abra a boca do seu pet e verifique os estados dos dentes. Se possível, faça essa primeira análise com o médico veterinário da sua confiança", completa.

O problema é que a doença pode se tornar grave se não for diagnosticada com rapidez. "Quando o animal não recebe atendimento, pode ocorrer perda dos tecidos de sustentação dos dentes, o que gera a perda dos dentes, seguida de dor ao mastigar e até tomar água", diz a veterinária.

Além disso, a endocardite bacteriana, outra infecção bucal dos cães, pode ocasionar problemas em órgãos importantes como fígado, rins e pulmões. "A infecção generalizada, que atinge os animais no último estágio da doença, pode ser fatal", afirma Laís Alarça.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade