Nem toda mulher deve fazer reposição hormonal, sabia?

Especialista explica que os hormônios podem acelerar um possível câncer de ovário, por exemplo

por Da redação com assessorias 08/09/2017 14:34

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
A chegada da menopausa é acompanhada pela diminuição da produção de hormônios e sintomas bem característicos, como ondas de calor e secura vaginal. Para atenuar essas reações, a reposição hormonal é vista como uma alternativa. Porém, o ginecologista Fernando Moreira de Andrade, do hospital Edmundo Vasconcelos, em Sâo Paulo, alerta que nem todas as mulheres podem recorrer a esse método.

De acordo com o médico, mulheres que apresentam um histórico de câncer de mama e ovário, ou lesões nestes locais, por exemplo, devem ser devidamente avaliadas para evitar consequências não desejadas. "É preciso checar se a paciente não tem nenhuma lesão na mama ou no ovário, mesmo que pequena. Os hormônios podem acelerar o processo de desenvolvimento e estará alimentando um câncer", comenta o especialista.

Como alternativa para atenuar essas manifestações, o ginecologista ressalta que para esse grupo de risco é possível inserir um tratamento alternativo, com medicamentos fitoterápicos, à base de plantas, e mudanças de hábitos, como uma dieta saudável e prática regular de atividade física.

Fernando Andrade explica ainda que sintomas como ondas de calor, secura vaginal e queda de cabelo são reações naturais decorrentes da vida útil do ovário. "O ovário tem uma vida útil de aproximadamente 30 anos. A partir disso, eles já começam a produzir menos hormônios, como a progesterona e o estrógeno", diz o médico.

Últimas notícias

Comentários