Brasil é um dos países que mais utilizam irrigação na agricultura

Estudo da Agência Nacional de Águas mostra que nosso país tem quase 7 milhões de hectares irrigados

por Encontro Digital 02/10/2017 12:58

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
O Brasil está entre os 10 países com a maior área irrigada do planeta, segundo estudo feito pela Agência Nacional de Águas (ANA). Atualmente o país possui 6,95 milhões de hectares que produzem alimentos utilizando diferentes técnicas de irrigação. A pesquisa, lançada nesta segunda, dia 2 de outubro, mostra ainda que o número representa apenas 20% da área potencial para a atividade agrícola.

De acordo com o levantamento, a região sudeste apresenta 2.709.342 hectares irrigados; a sul, 1.696.233; a norte, 194.002 ha; a nordeste, 1.171.159; e a centro-oeste, 1.183.974. O estudo da ANA destaca quatro métodos de irrigação como os principais no país: por superfície, subterrânea, por aspersão e localizada, especialmente usadas no agronegócio.

"Em que pese a diversidade, é possível extrair alguns padrões de larga escala entre métodos e culturas, tais como a forte correlação entre a inundação e o arroz; entre o gotejamento, o café e a fruticultura; entre a aspersão convencional com carretéis enroladores [hidro roll] e a cana-de-açúcar; e entre os pivôs centrais e a produção de outros grãos, em especial algodão, feijão, milho e soja", diz o estudo.

Ainda segundo o documento, entre os principais cultivos irrigados no país, como a cana-de-açúcar e as culturas em pivôs centrais (método no qual a água é aspergida por cima da plantação utilizando-se uma tubulação suspensa), "reitera-se a concentração do arroz no sul [do país] e Tocantins; da cana no litoral nordestino e no centro-sul [São Paulo, sul-sudoeste de Goiás e Triângulo Mineiro]; dos pivôs centrais na região central [em especial Goiás, Minas Gerais e Bahia]; e das demais culturas e sistemas no Espírito Santo, Mato Grosso, Paraná e nos estados no semiárido [em especial áreas de perímetros públicos]".

A agência reguladora mostra que a irrigação contribui para a estabilidade e o aumento da oferta de alimentos "e o consequente aumento da segurança alimentar e nutricional da população brasileira. Tomate, arroz, pimentão, cebola, batata, alho, frutas e verduras são exemplos de alimentos produzidos sob alto percentual de irrigação", diz o estudo.

O trabalho divulgado pela ANA ressalta que, embora o crescimento da irrigação resulte, em geral, no aumento do uso da água, a atividade contribui para "o aumento da produtividade, a redução de custos unitários, a atenuação de riscos climáticos/meteorológicos e a otimização de insumos e equipamentos".

De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), os líderes mundiais em irrigação são a China e a Índia, com cerca de 70 milhões de hectares cada, seguidos dos Estados Unidos (26,7 milhões), do Paquistão (20 milhões) e Irã (8,7 milhões).

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários