Brasil sobe uma posição no ranking mundial de produção de energia eólica

Nosso país registrou capacidade instalada de 2,5 GW em 2016

por Encontro Digital 24/10/2017 17:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
O Brasil subiu mais uma posição e assumiu o sétimo lugar entre os países com maior geração de energia eólica no mundo, ultrapassando o Canadá, que caiu para a oitava posição. Em termos de aumento na potência instalada, nosso país se manteve no quinto lugar, com 2,5 GW (gigawatts) em 2016. Os dados são do Boletim de Energia Eólica Brasil e Mundo – Base 2016, produzido pelo Ministério e Minas e Energia.

A situação favorável da fonte eólica brasileira também é destaque no fator de capacidade. Do ano 2000 até 2016, o Brasil passou de um fator médio de 20% para 41,6%. No mundo, esses indicadores foram de 22% e 24,7%, respectivamente. De fator de capacidade abaixo do mundial no ano 2000, o Brasil evoluiu para um indicador 68% superior no ano passado.

Dentre os estados brasileiros, o Rio Grande do Norte apresentou a maior proporção na geração eólica em 2016, com 34,7%, seguido do Ceará com 18,8%. No fator de capacidade, o Piauí teve o maior indicador (48,4%).

Para  2026, a previsão do Ministério e Minas e Energia é que a capacidade instalada da produção de energia eólica no país chegue a 25,8 GW (inclusive geração distribuída), respondendo por 12,5% do total. A região nordeste deve ficar com 90% da capacidade eólica total.

Considerando a geração  total de cada país,, a Dinamarca apresenta a maior participação de geração eólica, de 42,5%, seguida de Portugal (22,1%), e Espanha (18%).

(com assessoria de comunicação social do Ministério de Minas e Energia)

Últimas notícias

Comentários