Conta de luz poderá continuar com a bandeira vermelha de patamar 2

Justificativa da Aneel é que as chuvas estão abaixo do esperado nas regiões com reservatórios em níveis críticos

por Encontro Digital 20/10/2017 17:44

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Agência Brasil/Divulgação
(foto: Agência Brasil/Divulgação)
Se o Brasil continuar registrando chuvas abaixo da média histórica, a tarifa elétrica em novembro poderá permanecer na bandeira vermelha de patamar 2, que adiciona R$ 3,50 a cada quilowatt-hora (Kwh) consumido. "A continuar com o desenho que temos até agora, aponta-se para a manutenção da bandeira vermelha patamar 2", diz Romeu Rufino, presidente da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em comunicado divulgado nesta sexta, dia 20 de outubro.

O assunto será tema de uma reunião da Aneel marcada para a próxima terça-feira (24). Na ocasião, a agência deverá lançar uma consulta pública para discutir a metodologia de acionamento das bandeiras, que, atualmente, se baseia no valor do Custo Marginal de Operação relacioando ao mês seguinte.

Isso significa que, se houver um grande volume de chuva nos próximos dias, o modelo toma essa precipitação para constituir o valor futuro, mesmo que as chuvas diminuam.

A Aneel avalia a possibilidade de que também seja considerado o nível de armazenamento dos reservatórios no cálculo da tarifa. Se a fórmula que será debatida estivesse em vigor, a agência poderia ter acionado antes as bandeiras amarela e/ou vermelha durante o período seco, quando já se esperava um cenário desfavorável de chuvas e a diminuição acima da média do volume dos reservatórios.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários