Febraban adia aceitação de boletos vencidos de R$ 2 mil ou menos em qualquer banco

O sistema compartilhado deve passar a funcionar em 2018

por Encontro Digital 09/10/2017 14:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Camila Boehm/Agência Brasil/Divulgação
(foto: Camila Boehm/Agência Brasil/Divulgação)
A possibilidade de pagar boletos vencidos com valores abaixo de R$ 2 mil em qualquer banco foi adiada para o próximo ano. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) decidiu estender o prazo de implementação do novo sistema por causa da grande quantidade de documentos bancários emitidos no país.

Em julho, a Febraban havia iniciado a implementação do novo sistema de pagamento de boletos, de forma escalonada. Na primeira etapa, os bancos passaram a aceitar o pagamento de boletos vencidos com valores a partir de R$ 50 mil. No mês passado, o valor mínimo foi reduzido para R$ 2 mil. Nesta segunda, dia 9 de outubro, deveriam começar a ser recebidos em qualquer banco os boletos vencidos a partir de R$ 500 e, segundo o cronograma inicial, em novembro, haveria nova redução para o valor mínimo de R$ 200. Em dezembro, todos os documentos vencidos passariam a ser aceitos em qualquer banco.

"Em função do volume elevado de documentos que irão trafegar pelo novo sistema, cerca de quatro bilhões de boletos por ano, montante comparável à capacidade das grandes processadoras de cartões de crédito do mundo, o setor bancário decidiu rever o cronograma original, que previa a inclusão de todos os boletos na Nova Plataforma de Cobrança já a partir de dezembro", informa a Febraban em nota enviada à imprensa.

As novas datas das próximas etapas do cronograma serão divulgadas posteriormente pela federação.

Segundo a entidade, o novo sistema garante o registro de todos os boletos e o compartilhamento de informações sobre emissores e pagadores pelos bancos e por isso elimina o risco de pagamento em duplicidade: quando um boleto é apresentado em algum banco, o sistema informa se ele já tiver sido pago, evitando novo pagamento por engano. "O novo sistema reduz inconsistências de dados e permite a identificação do emissor e do pagador do boleto, facilitando o rastreamento de pagamentos e redução das fraudes, fonte de preocupação permanente para todo o sistema bancário", comenta a Febraban.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários