Meirelles reforça que é importante aprovar a reforma da Previdência este ano

Segundo o ministro da fazenda, deixar para 2018 a votação dessa reforma pode ser ruim devido às eleições

por Encontro Digital 30/10/2017 14:11

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcelo Camargo/Agência Brasil/Divulgação
(foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Divulgação)
Segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, aprovar a reforma da Previdência em 2018, ano eleitoral, será difícil. Ele defende a aprovação da proposta ainda em 2017. O ministro fez os comentários durante entrevista ao programa Por Dentro do Governo, da TV NBR.

"O próximo ano é eleitoral. É difícil a aprovação de medidas desse porte no próximo ano. É muito importante que seja feita [a aprovação] neste governo. Teremos eleição ano que vem. Haverá um novo governo tomando posse. Qualquer governo terá que fazer [a reforma]. Se não for feita agora, será o primeiro desafio do próximo governo", diz Meirelles, acrescentando que a reforma é importante para manter as condições de crescimento econômico.

Para o ministro da fazenda, o governo tem condições de conseguir a aprovação da reforma da Previdência, mesmo depois do placar de votação na Câmara dos Deputados sobre a denúncia contra o presidente Michel Temer. Meirelles defende que são questões diferentes. "Existem muitos parlamentares que votam de uma maneira e agora poderão votar de outra. São duas coisas completamente diferentes".

Durante a entrevista da TV NBR, o ministro comenta ainda que a projeção oficial atual de crescimento da economia no próximo ano é de 2%, mas deverá ser revisada. "Vamos fazer uma revisão proximamente, mas não me supreenderia se estiver acima de 3% de crescimento para o ano de 2018", explica.

"Voltamos a crescer e agora de uma maneira forte e consistente. Atravessamos a maior recessão da nossa história e uma crise dessa profundidade tem os seus efeitos que se prolongam por algum tempo", afirma o ministro. Ele acrescenta que a população pode ainda não perceber, por ainda haver "grande número de desempregados". Entretanto, o desemprego está diminuindo, assegura Meirelles.

Reforma tributária

Ao ser questionado sobre a ausência de tributação sobre grandes fortunas, o ministro diz que na reforma tributária haverá debate envolvendo o imposto sobre patrimônio. Além disso, conforme o ministro, a ideia é simplificar a tributação para que o "cidadão possa pagar de maneira mais simples e em menos tempo". "E as empresas terão um sistema mais eficiente de pagamento, menos caro", completa.

Ajuste fiscal

O ministro da Fazenda lembra ainda que o governo está avaliando se as medidas de ajuste fiscal para 2018 serão enviadas ao Congresso Nacional por medida provisória ou projeto de lei. "Durante a semana, discutiremos se será medida provisória, que é mais eficiente e mais rápida, ou será por projeto de lei, como deseja a liderança do legislativo. Mas isso é questão de uma conversa democrática que está em andamento. Se não for medida provisória, vamos ter que trabalhar como regime de urgência", afirma Henrique Meirelles.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários