Publicidade

Estado de Minas INTERNACIONAL

Peru deve se tornar o mais novo país a permitir o uso medicinal da maconha

A liberação do uso medicamentoso da cannabis e seus derivados foi aprovada pelo Congresso peruano


postado em 20/10/2017 15:33 / atualizado em 20/10/2017 15:58

O Congresso do Peru aprovou, na quinta-feira, dia 19 de outubro, um projeto de lei que autoriza "o uso medicinal e terapêutico do Cannabis sativa [maconha] e seus derivados" no país. A informação foi divulgada pela agência espanhola de notícias EFE.

A proposta recebeu 67 votos favoráveis, cinco contra e três abstenções. Os parlamentares aprovaram ainda a isenção de uma segunda votação (que consta na lei). Portanto, a liberação da maconha medicinal está pronta para a promulgação do presidente Pedro Pablo Kuczynski. Uma vez promulgada a lei, o governo peruano tem 60 dias para elaborar as regras de uso.

A lei legaliza a aplicação medicinal da maconha e seus derivados, como o canabidiol, para aliviar os sintomas de doenças como o câncer, epilepsia e parkinson.

A nova norma nasceu de uma proposta do governo do Peru, que se comprometeu com a elaboração de um projeto para descriminalizar o uso medicinal da maconha, depois de uma polêmica criada quando a Polícia Nacional invadiu um laboratório clandestino, em fevereiro deste ano, onde era fabricado canabidiol para crianças doentes.

Vale dizer que a legalização do uso medicinal da maconha no Peru era uma demanda antiga da associação Buscando Esperança, um grupo de pais que, até então, precisavam pagar altos preços pela importação dos óleos de cannabis para tratar as doenças dos filhos.

(com Agência EFE e Agência Brasil)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade